Imagem

Santorini e seu majestoso pôr do sol

O momento mais esperado por todos os turistas que visitam a cidade de Oia (pronuncia-se “ía”), na belíssima ilha grega de Santorini, é o pôr do sol. Isso é um fato e posso garantir que a fama não veio à toa.

DSC00076Sou apaixonada pelo sol. Sol é vida, é calor, é alegria. Deve ser impossível não sorrir ao apreciar um nascer ou um pôr do sol. Pelo menos para mim é. O sol é capaz de aquecer, contagiar e derreter até mesmo o coração mais frio. Por tudo isso, eu já imaginava que veria uma linda paisagem e ficaria encantada, mas me surpreendi muito com o que vi.

A vila de Oia por si só já é linda, provavelmente até em dias nublados. As casinhas e restaurantes na encosta do morro, a maioria delas pintada de branco com telhado azul, são lindas de viver. Parece que você está numa pintura, que aquele charme todo não é real. Há flores por toda parte e para onde quer que você olhe, a vista é incrivelmente encantadora. Até uma cena simples do dia a dia, fica mais bonita em Santorini.

P1040337Então, depois de passear pelas ruelas da vila, você começa a se preparar para o espetáculo. Cada um dá uma sugestão do melhor ponto e ângulo para assistir e fotografar o show. Quando você para e percebe o movimento ao seu redor, vê que andou para lá e para cá e que todos os hot spots já estão tomados por multidões, afinal todo mundo recebeu as mesmas dicas que você!

A minha dica é: chegue bem antes do horário previsto para garantir um bom lugar ao sol, literalmente. Leve um chapéu, seus óculos escuros, câmera e um drink a tira colo. Desconecte-se do resto do mundo e contemple, pelo tempo que for necessário, esse momento lindo que a natureza nos dá de presente todos os dias.

Nós encontramos o nosso canto e fizemos dele o lugar mais especial. Sentamos ali, só nós dois, curtindo a nossa lua de mel, tomando um vinho branco, numa das paisagens mais estonteantes que já vi na minha vida. E valeu à pena esperar por ele, que em poucos minutos se despediu de nós, em toda a sua majestade.

P1040356

Anúncios
Imagem

Mykonos pé na areia

Além de ser louca por viagens, sou realmente fã de comida. Como com prazer, com alegria, com atenção aos sabores e aromas. Como com os olhos, boca e nariz.

Gosto do layout dos pratos, de apreciar as obras de arte que os chefs criam na cozinha, de sentir o cheirinho do parmesão gratinado à distância, de sentir a explosão do tomate fresco, do crocante da cebola, do aroma sedutor do funghi, da combinação de cores, do doce com o salgado, do azedo, do amargo, do apimentado, das especiarias. Gosto de comer bem e sempre topo programas gastronômicos, de preferência regados com muito vinho.

E por falar neles, me lembrei de dois lugares bem especiais e encantadores da ilha de Mykonos, na Grécia, que valem uma longa parada.

P1040535 - CopiaUm dos meus restaurantes preferidos é o Ithaki, localizado na praia de Ornos. Ele conseguiu ganhar ponto em todos os quesitos. Pé na areia, vista estonteante para o mar, comida muito bem preparada e apresentada, preço adequado e ambiente nota mil. Aliás, foi o que mais me conquistou. Internamente ele tem delicadas pinturas nas paredes, decoração viva, cheia de cores, espalhadas em pequenos detalhes e nas inúmeras almofadas que enfeitam o local.

P1040536 - CopiaPor ser pé na areia, ele é bastante casual e muito procurado, tanto no almoço, quanto no jantar, por isso, é bom reservar. Especializado em culinária grega e mediterrânea, é difícil não se apaixonar pelos seus pratos, geralmente repletos de frutos do mar, tomate, cogumelos e muito, muito azeite. Se eu tivesse que resumir o Ithaki em poucas palavras, eu diria: comida saborosa, charme puro e muito alto astral.

P1040702Para quem procura uma opção um pouco mais sossegada, mas igualmente maravilhosa, recomendo o Hippie Fish, localizado na praia de Ai Yanni. O restaurante, apesar de também ser pé na areia, me pareceu um pouco mais requintado. Casual, mas ao mesmo tempo elegante, sabe?

Foi lá que experimentei pela primeira vez o tzatziki, aquela divina pasta de iogurte, pepino, alho e dill, com um sabor refrescante e marcante, do qual não vou me esquecer jamais. Além de servir comida típica grega e mediterrânea, o restaurante também tem opções de comida japonesa, mas eu sugiro que você prove o máximo possível da comida local, que é extremamente saudável e deliciosa.

Eu e meu marido somos loucos por frutos do mar. Então, pedimos carpaccio de robalo, lula, camarões e para acompanhar, uma garrafa de vinho branco grego, de uma uva que nunca tínhamos ouvido falar, chamada Assyrtiko, bem mineral, que harmonizou perfeitamente com os pratos. De sobremesa fomos de baklava, doce de nozes bem tradicional com massa filo e mel. Dos deuses!P1040704

Almoçar com uma vista dessas, abre qualquer apetite.

Quando for para Mykonos, escolha um restaurante à beira mar que mais lhe agrade, desconecte-se de seu celular ou qualquer outra fonte de distração, peça um vinho branco e deleite-se com a culinária mediterrânea e a vista que esse paraíso grego tem a oferecer.

 

Imagem

Os contrastes de Zanzibar

Zanzibar é um pequeno arquipélago banhado pelo Oceano Índico. Considerado um país semiautônomo à Tanzânia, esse pedacinho do continente africano tem mais de 90% de população muçulmana, que vive em extrema pobreza. Sua economia gira, principalmente, por conta do turismo.

Para quem está à procura de praias paradisíacas, mergulho, passeios de barco, calor escaldante e muito sossego, a ilha é um prato cheio e oferece inúmeras opções de hotéis, para todos os gostos e bolsos.

A eleita para os três dias da nossa passagem pela ilha foi a praia de Nungwi, uma das mais belas de Zanzibar. Ficamos hospedados no Z Hotel, mais bonito por fora do que por dentro, mas valeu. Caso tenha interesse, minhas considerações detalhadas sobre o hotel estão no Tripadvisor ;o)

Depois de tanto acordar cedo para pegar os diversos voos que nos levaram para lá e para cá pela África, resolvemos que nossa parada em Zanzibar seria somente para R-E-L-A-X-A-R. Então, passamos boa parte do tempo tomando um sauvignon blanc geladinho na piscina de borda infinita do hotel, com vista para o oceano. O azul do Índico contrastava com os coloridos trajes das muçulmanas que, ao final do dia, lavavam suas roupas à beira mar, enquanto as crianças brincavam alegremente a sua volta. IMG_3016

IMG_2939Tenho que ser sincera. Fazer um passeio romântico (a dois) nessa praia é complicado, pois lá, nunca estamos a sós. Basta colocar os pés na areia, na linha tênue que separa o hotel da praia, que inúmeros pescadores começam a te abordar, tentando vender passeios de barco, artesanato local ou descolar algum agrado. Quando você nega, eles respondem: hakuna matata e passam a rodear outros turistas. A expressão em swahili, a língua local, significa “sem problemas”, “não se preocupe” e resume bem o espírito de seus habitantes.

IMG_2929Quando conseguimos nos desvencilhar dessa turma de capitães de areia, demos uma olhada para trás e vimos que ainda tínhamos companhia. Eram eles, uma dupla da tribo maasai, nômades que costumam circular pelo Quênia e Tanzânia, em seus mantos vermelhos. Eles simplesmente passam a te se seguir e acompanhar sua caminhada e, se você dá corda, começam a conversar, falam um pouco de sua cultura e não deixam dúvida de sua enorme simpatia e marcante personalidade. Estes são Daniel e Michael, que após um jogo de vôlei na praia, nos acompanharam de volta ao hotel, cheios de estilo e alegria.

Tudo isso me fez pensar. Em meio a uma condição de vida precária em todos os sentidos, o povo de Zanzibar, que tem tantos motivos para reclamar e se lamentar, é guerreiro e batalhador. Mais agradece do que pede e está sempre distribuindo gentilezas e sorrisos, acompanhados do mantra “hakuna matata”, e seguindo em frente.

Zanzibar é um lugar que mexe com a gente e ponto. É inevitável.

Eu voltei de lá com um sentimento de que essa viagem foi um divisor de águas na minha vida. Algo aqui dentro mudou. Poucos dias na ilha foram suficientes para gerar um misto de inquietação, questionamento e reflexão, que me trouxe bastante aprendizado. Uma mudança de perspectiva. Uma mudança para o bem. Uma grande lição.

Acho que a canção do filme O Rei Leão resume bem o significado por trás dessa experiência e incrível viagem: “isso é viver, é aprender, hakuna matata”.IMG_2917

 

 

Imagem

Nannai – sossego e conforto

Há muito tempo namorávamos o Nannai Resort & Spa, localizado na praia de Muro Alto, Pernambuco. Conseguimos nos planejar e, no ano passado, ficamos quatro dias lá.

Assim que chegamos, fomos recepcionados com espumante, água de coco e muita simpatia pela equipe do hotel. A decoração rústica e praiana, acompanhada de pequenos detalhes e artesanatos locais, dão um toque aconchegante e especial ao lugar.

Dentre as opções de acomodação, uma mais incrível que a outra, optamos pelo Bangalô Super Luxo. Projetado para nos fazer pensar que estamos no Taiti, o confortável e charmoso bangalô fica sobre as águas de uma piscina privativa, rodeado por coqueiros e muito verde. É tão lindo, que nem dá vontade de sair de lá.

Resolvemos curtir a piscina da área comum nas espreguiçadeiras com vista para o mar e nos deliciamos com camarões, lulas e caipirinhas, feitas com frutas típicas da região. Ao redor dessa área, há muitas namoradeiras, redes e gazebos, perfeitos para relaxar, ler um livro e namorar.

Ao longo do dia, os garçons passam oferecendo finger foods para os hóspedes, mimos que costumam agradar muito, uma vez que o sistema lá é de meia pensão (café da manhã e jantar). No fim da tarde, o hotel também oferece um pequeno banquete com diversas variedades de bolos, tortas, pães, tapiocas, sucos e chás. Sensacionais!

Outro diferencial é o Spa da L´Occitane que, além de oferecer serviços de massagem e tratamentos corporais com produtos da marca, ainda possui um ambiente de relaxamento com piscina aquecida, hidromassagem e sauna.

Sem dúvida, a estrutura e localização privilegiadas do Nannai nos trazem muito sossego e tranquilidade. Se você busca se desligar um pouco do mundo, lá é uma ótima pedida.

Na última noite da viagem, eu e o Mau estávamos conversando e tomando um vinho branco à beira da piscina, quando nos demos conta de que nunca havíamos visto um nascer do sol juntos. Decidimos resolver essa questão (gravíssima) e ajustamos nosso despertador para as 5h da manhã seguinte.

Escolhemos um cantinho especial e, por volta das 5:20 da manhã, lá estávamos, só eu e o meu amor, num cenário paradisíaco, assistindo aquele momento mágico, um espetáculo de cores, quando o sol raiou, nos desejando um bom dia e nos trazendo a sensação de muita paz e alegria.

E, foi assim, que encerramos nossa viagem.

 

 

 

 

Imagem

Um segredo bem guardado

O segredo mais bem guardado da ilha – dizia a indicação do guia de viagem.

Ficamos intrigados com a descrição e boas referências do restaurante e já o incluímos na lista de “must go” da Grécia, quando começamos a planejar nossa viagem.

Localizado ao norte de Mykonos, na praia de Agios Sostis, Kiki´s Tavern é um restaurante que poderia passar facilmente despercebido, se não fosse pela fila de pessoas do lado de fora, esperando por uma mesa.

Já faz alguns anos que fomos para lá, mas, na época, lembro que não encontramos o endereço na internet e não havia nenhuma sinalização ou placa indicando sua localização. Apenas colocamos o nome da praia no GPS e seguimos para lá.

Rodamos pelas redondezas, parando em cada ruazinha e perguntando aos moradores e turistas se conheciam o restaurante. Não sei se realmente ele devia ser mantido em segredo, mas o engraçado é que a maioria das pessoas dizia que não o conhecia, ou respondia alguma coisa em grego, o que, definitivamente, não ajudava muito.

De repente, avistamos um cantinho cheio de gente na frente. Só poderia ser ali. Estacionamos o carro um pouco adiante, pois não havia vagas. Chegando lá, perguntamos para uma pessoa na fila se ali era o famoso Kiki´s e a resposta afirmativa, acompanhada de um sorriso no rosto, confirmou o que tanto esperávamos. Finalmente havíamos chegado!

Enquanto esperávamos pela nossa mesa, pedimos um vinho branco da casa, geladinho e refrescante, perfeito para amansar o calor do verão.

O restaurante de estilo rústico e casual, tem poucas mesas, que ficam sob um telhado de madeira vazado e entrelaçado por plantas trepadeiras e, ainda, conta com uma vista estonteante da pequena praia de Agios Sostis.

Especializado em comida grega e frutos do mar, no Kiki´s os pratos são preparados na brasa e servidos com a simpatia e a alegria que só os gregos têm. Seguimos a recomendação do guia à risca e pedimos lula grelhada e peito de frango recheado com queijo feta e tomate seco. Simplesmente imperdíveis.

Depois de almoçar com esta vista privilegiada, o melhor a fazer é descer a trilha que dá acesso à praia, dar um mergulho no mar, estender sua canga e relaxar.

Obs.: peço desculpas à tradição local, mas me senti na obrigação de compartilhar esse segredo com você!