Imagem

Alta gastronomia em Provence

Tem coisa melhor do que encontrar, quando menos se espera, um lugar incrível para almoçar durante uma viagem? Não. Principalmente, para quem, assim como eu, costuma ficar mal humorada quando tem fome!

Estávamos há horas na estrada, indo de Borgonha para Provence, na França. Nosso destino final era a cidade de Joucas, que fica em Luberon, um lugar imperdível para quem visita a região.

Eis que, de repente, no meio da estrada, passamos por um lugar que me chamou a atenção. Era o restaurante Lou Caleù, que fica em Saint-Martin-de-Castillon. Tinha um charme bucólico, bem peculiar e provençal. Simples e rústico, mas completamente encantador.

IMG_7646Entramos, escolhemos uma mesa na área externa, ao lado de belas lavandas e pedimos o cardápio. Só que não tinha. Todos os pratos do menu estavam escritos em pequenas lousas, que a dona deixava na porta do restaurante.  Tudo escrito em francês. Que “marravilha”!

Fizemos nosso pedido sem saber exatamente o que iríamos comer. Definitivamente, isso não foi um problema. Os pratos eram de alta gastronomia e realmente nos surpreenderam. Deu pra notar que o chef buscava valorizar ingredientes locais e preparou combinações com extremo sabor e excelência.

IMG_7642De entrada uma saladinha de folhas com romã e uma massa filo recheada com queijo de cabra. O prato principal foi um magret de pato com molho de laranja e especiarias, que comi pela primeira vez e fiquei apaixonada pelo sabor! E de sobremesa….bom, dizem por aí que uma imagem vale mais que mil palavras….

IMG_7653

O Lou Caleù, além de um ótimo restaurante, é também um hotel. Não chegamos a conhecer a estrutura, mas, tomando por base o que experimentamos, em todos os níveis sensoriais da palavra, imagino que seja igualmente interessante.

Que coisa boa foi encontrar, mais esse encanto em Provence, que, aliás, está repleta deles por todos os cantos. Com certeza, foi uma surpresa deliciosa (em todos os sentidos)!

Lou Caleù ❤

http://www.loucaleu.com/

84750 Saint-Martin-de-Castillon

Anúncios
Imagem

Borgonha e a vida das vinhas

Um dia desses assisti ao documentário “A Year in Burgundy”, no Netflix. Ele mostra o processo de produção de vinhos de algumas famílias produtoras de Borgonha. Cada estágio da produção é acompanhado pela francesa Martine Saunier, uma das maiores e mais respeitadas importadoras de vinho de São Francisco. Profunda conhecedora das particularidades das vinhas francesas, ela seleciona pessoalmente os vinhos que compra.

IMG_7249Há centenas de anos, quando não havia estudos geológicos avançados, os vinicultores perceberam que as mesmas uvas, plantadas em diferentes partes do terreno, tinham sabor diferente. Então, cada terroir foi demarcada e fechada com portões, que definiam a propriedade de cada um dos produtores. Os vinhos da região recebem o nome dessas vilas onde são produzidos e imprimem a personalidade de seu vinicultor, como se contassem um pouquinho de sua história.

Estivemos na França em 2014, e fizemos a Route des Grands Crus, passando por diversas vinícolas. Queria ter conhecido essa história linda de dedicação, precisão, amor e carinho, antes de ter feito a viagem pela região. Se eu já me emocionei por estar lá, em meio a todos aqueles vinhedos sem fim, imaginem se tivesse feito esse passeio depois de entender bem todo o esforço que, passado de geração para geração, está por trás da identidade das vinhas. Afinal, o bom vinho vem dos corações e das mentes das pessoas que os criam, não é mesmo?

Uma coisa é verdade, depois que você conhece as particularidades dos vinhos de Borgonha, a natureza, o terroir e a arte que os tornam tão singulares e especiais, é impossível não se apaixonar.

Se você estiver planejando uma viagem para a região, considere levar aquelas malas próprias para transporte de garrafas, pois a qualidade dos vinhos é excepcional e você vai se arrepender de não voltar com a mala cheia! Os destaques, na minha opinião, são as uvas Pinot Noir e Chardonnay. Ah, não deixe de visitar a Château de Corton-Andre. É bárbara! Outra dica de ouro é se hospedar em algum dos vilarejos da Route des Grands Crus, assim você pode fazer todas as degustações que quiser, como se não houvesse amanhã!

Château de Corton-Andre ❤

Rue d’Aloxe Corton, 21420 Aloxe-Corton, França

http://www.corton-andre.com/

*Quer saber mais sobre a Borgonha? Clique nos posts abaixo:

Route des Grands Crus

De Dijon à Beaune: surpresas gastronômicas

 

Imagem

Procurando hotel em Provence?

Não me canso de dizer que os pequenos vilarejos sempre me encantaram mais do que as grandes cidades. Não que elas não sejam incríveis. São sim. Mas, na minha opinião, as pequenas vilas expressam com mais intensidade a alma do lugar, o estilo de vida de seus habitantes. E volto a dizer: o tempo parece passar mais devagar nesses lugares.

Costumamos nos hospedar em hotéis que têm a cara do destino que estamos visitando, evitando ficar em hotéis de rede, padronizados. É claro que o risco de encontrar algo que não nos agrade acaba sendo maior, mas normalmente temos acertado!

img_7655Localizado no coração do Parque Luberon, e com uma linda vista para o vilarejo de Gordes, o hotel La Ferme de la Huppe foi a nossa escolha para três dos quatro dias que passamos em Provence.

 

O caminho que nos leva até ele vai aos poucos mostrando a beleza da região. Céu azul, casinhas de pedra com janelas verde água, parreiras e campos de lavanda, que parecem dançar com o sopro dos ventos. É tudo tão lindo, que você se pergunta se é real mesmo.

Travellers´choice 2016 no Tripadvisor, o hotel faz jus à posição que ocupa.

Fomos recepcionados pelo proprietário que, com muita gentileza, fez questão de que nos sentíssemos em casa. O atendimento de todo staff é bem caseiro, no melhor sentido da palavra. É como se todos os hóspedes fizessem parte de uma grande família.

Com apenas dez habitações, o La Ferme de la Huppe é bastante procurado. O estilo provençal está impresso em cada cantinho do hotel, bem rústico, decorado com muita madeira e pedra. O jardim é belíssimo, com muito verde, imponentes ciprestes e delicadas lavandas, que enfeitam e perfumam toda a propriedade. O delicioso café da manhã é servido na varanda, em frente à piscina, ao som dos passarinhos cantando, com direito a produtos frescos da região e queijo de cabra da fazenda. Ah, eles também oferecem alimentos sem lactose, é só informar no momento da reserva!

img_7690

Apesar de ser tão linda quanto as demais, não recomendo a acomodação chamada L´amandier para pessoas que valorizam amplo espaço e ventilação, pois ela é bem pequena (18m2). De resto, tudo nota 10! Me hospedaria lá novamente, com certeza.

Depois de um passeio pelo vilarejo de Gordes, peça um bom vinho e uma tábua de queijos, sente-se à beira da piscina e aproveite o fim de tarde na bela Provence.

La Ferme de la Huppe

info@lafermedelahuppe.com

http://www.lafermedelahuppe.com/

*Quer saber mais sobre Provence? Veja os links abaixo ❤

Girassóis em Provence

O vilarejo de St. Rémy

Um achado em Ménerbes

Mais aromas e sabores de Provence

 

 

Imagem

Reims, a terra do champagne!

img_6951

Ir para Paris e não passar pela região de Champagne é um pecado, pelo menos para os amantes da bebida, como eu. É lá que são produzidos os autênticos e verdadeiros champagnes, os únicos que realmente podem ser chamados como tal.

Demos uma apertada no roteiro para incluir um bate e volta até a cidade de Reims, que fica a aproximadamente 150 km da capital francesa e abriga as mais famosas caves da região: Pommery, Veuve Clicquot, Ruinart, Demoiselle, Taittinger e muitas outras.

img_6948

img_6878Já que sou fã da marca, escolhi visitar a Veuve Clicquot. No estacionamento, só carrão de luxo e o nosso carrinho alugado. Por alguns instantes, me senti na Ilha de Caras. O lugar já era bonito do lado de fora, imaginem por dentro. Um truck estiloso e meio vintage estacionado no belo jardim servia como vitrine para promover alguns dos produtos, que estão à venda no interior da Maison. Impossível sair com as mãos vazias! rs..

img_6930O tour guiado conta a história da Madame Clicquot, a viúva que decidiu tomar as rédeas da empresa após a morte do marido e conseguiu expandir seu negócio com excelência. Depois, passa por uma aula sobre o processo de produção e armazenamento dessa maravilha dos deuses, direto das caves, e termina com uma deliciosa degustação. Esse tour que escolhemos, durou cerca de 1 hora e custou algo em torno de 35 euros por pessoa. Dicas: a temperatura lá embaixo é muito fria, levem agasalho. Ah, fiquem atentos aos feriados locais e agendem seu tour previamente pelos sites!

Se tiver tempo, dê uma esticada até a cidade de Épernay para visitar a Möet & Chandon e a Mercier. Infelizmente não conseguimos ir, mas elas também devem ser incríveis!

img_6961Demos um passeio rápido pela cidade, que é simplesmente encantadora. Reims me pareceu um lugar muito tranquilo. Suas ruas pacatas são arborizadas, extremamente limpas e cheias de verde. A arquitetura dos pequenos prédios dá à cidade um charme extra. A Catedral de estilo gótico, mesmo em reforma, era imponente e contrastava com o lindo céu azul daquele dia. Gostaria de voltar e ficar hospedada pelo menos uns dois dias por lá 🙂

Maison Veuve Clicquot

https://www.veuveclicquot.com/pt-br

visitscenter@veuve-clicquot.fr

1, place des droits de l’Homme

51100 Reims

Quer saber mais sobre a França? Clique aqui ou aqui.

 

Imagem

De Dijon à Beaune: surpresas gastronômicas

Depois de passar pelo Vale du Loire, fizemos uma parada estratégica em Dijon, comuna francesa na região administrativa de Borgonha. Ficamos hospedados por uma noite no Hotel Des Ducs, que fica bem próximo ao centro histórico da cidade.

A ideia era fazer check in, tomar um banho e cair na cama, pois na manhã seguinte teríamos quase 300 km para percorrer até a cidade de Annecy, no sul da França. Mesmo cansados da viagem, resolvemos dar uma volta, sem mapa, sem indicação, totalmente ao léu. Foi assim, por acaso, que conhecemos o Chez Gina.

img_7226O restaurante tem um jeitão meio retrô oldschool, super bem decorado e aconchegante. Para nosso delírio, o cardápio era 100% italiano. A comida é muito, mas muito gostosa. Pedimos uma burrata de entrada e, de prato principal, massas com molhos tipicamente italianos (alla rabiata e matriciana), acompanhadas de um belo filé à milanesa. BRAVO! Ah, o restaurante também tem um pequeno empório, que vende produtos italianos como massas artesanais, temperos, molhos, antepastos, polentas e outras delícias da terrinha. Adoramos e recomendo MUITO. Só digo uma coisa: foi ótimo ter deixado a preguiça de lado e ter conhecido alguns encantos da cidade.

Na manhã seguinte, pegamos a Route des Grands Crus, visitamos várias vinícolas e, antes de seguirmos para nosso destino final, fizemos mais desvio até a cidade de Beaune. Aliás, que graça de cidade. Demos uma volta e escolhemos o Brasserie Le Carnot para almoçar, francês na veia! Eu pedi um magret de canard com mel e laranja e o Mau foi de steak tartare, ambos acompanhados do vinho da casa. Quase não tomamos vinho nesse dia mesmo, que mal faria mais uma taça?! Estava tudo muito bom, mas acho que saí de lá meio alegrinha…

 

img_7261Se você for fã de mostarda e estiver na região, não deixe de fazer uma visita e reservar um tour na Edmond Fallot Moutarderie, um dos mais tradicionais e familiares produtores desse precioso condimento francês. Nós estávamos de passagem e não conseguimos fazer o tour, mas eles serviram algumas mostardas para degustação.

img_7242Preciso dizer quantos potes de mostarda trouxemos na mala? Meu Deus! Uma mais deliciosa que a outra. Tem mostarda com pimenta, wasabi, manjericão, ervas, açafrão, cassis, mel e muitos outros. Impossível é sair da loja de mãos vazias. Uma ótima opção também para presentear parentes e amigos.

 

Chez Gina

18 Rue Odebert, 21000 Dijon

 

Brasserie Le Carnot

18 Rue Carnot, 21200 Beaune

 

Edmond Fallot

31 rue du Faubourg Bretonnière – 21200, Beaune

http://www.fallot.com/en/

 

Quer saber mais sobre a Route des Grands Crus ? Clique aqui.

Conhece a bela cidade de Annecy? Clique aqui e aqui.

Imagem

Annecy – encantos sem fim e a melhor pizza ever!

Ficamos apenas três dias em Annecy. Pouquíssimo tempo para desfrutar todos os encantos que a cidade tem para nos oferecer, mas o suficiente para nos apaixonarmos por ela.

Já contei em outro post a minha alegria em andar pelas ruelas da cidade em um dia de feira. Aromas e sabores explodindo pelos ares e por todos os cantos. Simplesmente imperdível.

IMG_7296Andando pelo centrinho de Annecy, você vai encontrar diversos bares e restaurantes, alguns mais animados que outros, mas todos bem movimentados. Dê preferência para os que ficam em frente ao lago para apreciar a melhor vista.

No segundo dia caminhamos até a pont des amours (ponte dos amores), onde os casais costumam passar várias vezes para trazer boa sorte. É claro que respeitamos as tradições e superstições locais e tiramos a nossa foto para registrar o momento. Depois, alugamos um barquinho por meia hora e passeamos pelo lago Annecy. Era fim de primavera, as temperaturas não passavam dos 20º e mesmo assim, a gente viu várias pessoas praticando esportes aquáticos, como vela, stand up paddle e jet ski. Outros, corriam e pedalavam por toda a orla, com uma vista lindíssima do lago.

IMG_7396Quando descobrimos que Annecy ficava a apenas 40 e poucos km da fronteira com a Suíça não pensamos duas vezes. Pegamos o carro e demos uma esticada até a cidade de Genebra, tiramos umas fotos e paramos numa lojinha para comprar chocolates que pareciam ser deliciosos (claro, eram suíços!). Quando fui passar no caixa, saquei meus euros da bolsa e – desculpe, senhora, aqui só aceitamos franco suíços. Agradecemos, demos meia volta, sem chocolate, e retornamos à Annecy dando risada!

Para o jantar, deixo aqui minha dica de ouro: não deixe de ir na pizzaria The Little Italy, a melhor pizza que já comemos fora de São Paulo (sim, pizza na França!). O lugar é bem charmoso, mas tem pouquíssimas mesas, por isso é bom fazer reserva com antecedência. As pizzas são individuais e saborosíssimas, mas eles só fazem de um sabor, não é como no Brasil, onde você pede meia ou um terço de cada sabor e muda todos os ingredientes…rs. Eles também servem vinho em taça ou garrafa. Se conseguir chegar até a sobremesa, experimente o tiramisù. Très bon!!

Quer saber mais sobre Annecy? Clique aqui.

The Little Italy

16 Rue Sainte-Claire, Annecy, França

+33 4 50 52 92 78

Imagem

Mais aromas e sabores de Provence

Está planejando passar uns dias em Provence? Então, provavelmente você vai notar o mesmo que eu ao pesquisar onde ficar: todos os hotéis são lindos e a escolha não vai ser fácil.

Acho que já falei aqui no blog que prefiro pequenos vilarejos a grandes metrópoles e acho que você irá entender o porquê quando vir as próximas fotos. Tudo é mais calmo, mais charmoso, mais sereno. Parece que o tempo nesses lugares passa mais devagar…

Le Mas des Herbes Blanches fica em Joucas, no vale do Luberon, a poucos quilômetros de Gordes. Além de ser cinco estrelas, o hotel é membro do Relais & Chateaux, referência de excelência quando o assunto é hospedagem e gastronomia.

Quando fomos para lá, estávamos na reta final da viagem e nossos euros estavam no mesmo ritmo. Acabamos nos hospedando apenas por uma noite lá, o suficiente para nos deixar com gostinho de quero mais e a certeza de que um dia voltaremos.

IMG_7451O hotel é um grande casarão feito todinho de pedras, os jardins são impecavelmente bem cuidados, há ciprestes e flores por toda parte. O staff é super solícito e cortês. Nosso quarto era o típico cantinho provençal, charmoso, delicado e bem decorado. Definitivamente, o lugar foi projetado para nos fazer sentir em casa, em pleno aconchego.

As amenities são todas da L´Occitane, fabricadas numa cidadezinha lá perto, chamada Manosque. Para completar, tínhamos uma vista maravilhosa da janela do nosso banheiro. Parece o cenário de um filme, de tão lindo, vocês não acham? Sabe que às vezes, quando estou tomando o banho, passo o shampoo de óleos essenciais da marca (o mesmo que usei lá) então, fecho os olhos por alguns segundos, sentindo aquele aroma delicioso e me imagino de volta à Provence. Dá uma saudade…

IMG_7380

Não é de tirar o fôlego?

 

IMG_7435E o café da manhã? O que são aqueles croissants quentinhos que derretem na boca? Está aí uma coisa que não podemos negar, esses franceses realmente sabem preparar um croissant. E a quantidade de opções de geleias? A maioria é feita na própria fazenda, por isso elas são tão fresquinhas e têm aroma e sabor bem marcantes das frutas. Os queijos também são preparados localmente. Me acabei no queijo de cabra, um dos meus preferidos. Agora, tomar um café da manhã incrível com uma vista dessas não tem preço. E quando eu imaginava que tudo não podia ficar ainda mais perfeito, eis que aparece um gatinho para nos fazer companhia, aproveitando o sol e as guloseimas que ganhou da gente. Eles não são bobos, né? ❤

Infelizmente ficamos apenas uma noite nesse hotel e, como passamos o dia em Gordes, acabamos comendo por lá. Uma pena, porque os pratos do restaurante gourmet pareciam verdadeiras obras de arte, tão lindos que deviam dar até dó de comer. Tem uma sobremesa de chocolate com folhinhas de ouro em cima. De comer com a boca, com os olhos e tudo mais que tiver direito. Juro!

Descobrimos o significado de ser um membro do Relais & Chateaux tarde demais e ficamos na vontade. Se você tiver a chance de se hospedar num dos hotéis desse grupo tão seleto, não deixe de aproveitar as experiências gastronômicas e sensoriais que eles são capazes de proporcionar. Quem sabe da próxima vez, teremos a chance de experimentar o que eles chamam de a “alta costura” da gastronomia….