Imagem

Quinta das Lavandas e a rota dos vinhos do Alentejo

            IMG_4822Viajar pelo Velho Mundo é se surpreender com paisagens inusitadas, belezas naturais desconhecidas e lugares cheios de histórias a serem relembradas. E, claro, castelos e mais castelos. O Mau é “o louco dos castelos”. Não pode ver um de longe, que quer conhecer. Foi o que aconteceu com este, em Evoramonte. Que nos proporcionou esta vista…

IMG_4870Chegando a Castelo de Vide fomos presenteados com um lindo pôr do sol. Escolhemos o Quinta das Lavandas, um hotel rural a alguns quilômetros do centro, para passar duas noites e explorar a região.

IMG_4880

 

Teresa, a simpática proprietária, foi nos recepcionar de braços e sorriso abertos. Fez questão de nos mostrar todo o hotel e garantir que nos sentíssemos em casa. O lugar tem uma ótima estrutura, piscina, quartos super bacanas, além de um astral especial e acolhedor. Fiquei apaixonada.

 

Quinta

Fonte: site Quinta das Lavandas

A lavanda é a verdadeira protagonista da Quinta, que tem uma plantação linda de onde são feitos óleos essenciais e outros produtos especiais.  O aroma delicado da lavanda se faz notar em todos os cantos, de forma sutil e encantadora, instigando nossos sentidos e trazendo uma deliciosa sensação de calma e relaxamento.

IMG_5012Na manhã seguinte, Teresa nos deu algumas dicas do que fazer na cidade. Começamos visitando o centro, bem pacato e tranquilo, como uma cidadezinha do interior. Na lojinha Sabores da Terra, provamos o doce boleima, uma receita judaica feita de pão sem fermento, maçã e canela. Só de lembrar, senti o sabor na minha boca. Se você for fã de doces, aproveite e experimente também o de castanhas portuguesas. Divino!

IMG_4841De lá, seguimos para as vinícolas. Em Estremoz e arredores visitamos três delas: Herdade das Servas, Dona Maria e Tapada do Chaves que havia sido comprada recentemente pela Fundação Eugénio de Almeida e estava em processo de inventário, por isso, apenas conhecemos as vinhas e o processo produtivo, mas não pudemos fazer degustação.

 

IMG_4862A vinícola Dona Maria, também conhecida como Quinta do Carmo, foi um presente de Dom João V a sua amante. Visitando a vinha você vai ficar sabendo de toda a história, mas vou te falar que a Dona Maria mandou bem, mostrou seu valor, porque o lugar é maravilhoso. A vinícola, o palácio e os jardins são impressionantes, além dos vinhos de excelente qualidade, como o Alicante Bouschet Júlio B. Bastos 2014 e o Dona Maria Grande Reserva Alentejo DOC 2012.

IMG_4840Para quem tem tempo de folga e aprecia um bom vinho, sugiro uma estada de 3 ou 4 dias para explorar a rota do vinho com mais calma. Existem dezenas de vinhas, umas mais, outras menos conhecidas. Não se prenda somente às grandes e turísticas. Há pequenos produtores fazendo vinhos muito bons, viu!? Lembre-se de fazer reserva para visita e prova de vinho com antecedência, pois os horários são bem concorridos (não importa a época do ano).

Me despedi de Castelo de Vide deixando um pedacinho do meu coração no Quinta das Lavandas. Esse lugar é muito especial e me conquistou pra valer. Teresa, querida, obrigada por tudo que fez por nós e pelas dicas valiosas!

Próxima parada: Castelo de Marvão + uma boa surpresa gastronômica (simples, acessível e MUITO saborosa) + um pit stop entre Portugal e Espanha.  Não perca o próximo post!

Quinta das Lavandas ❤

https://www.quintadaslavandas.pt/

Dona Maria

http://donamaria.pt/

donamaria@donamaria.pt

Herdade das Servas

http://www.herdadedasservas.com/

enoturismo@herdadedasservas.com

 

Anúncios
Imagem

Um dia em Évora. O que fazer?

A cidade de Évora é muito gostosa para ficar apenas um dia. Passear por suas ruas pacatas sem compromisso ou pressa é o mais sábio a fazer. Mas, se você ficar um dia e meio, como nós ficamos, lá vão algumas sugestões para preencher bem esse tempo.

IMG_4738 - CopiaComeçamos dando uma volta pela cidade, passamos pelo Templo de Diana, que estava sendo reformado e seguimos para a famosa Capela dos Ossos que, como o nome sugere, é inteirinha feita de ossos humanos. Sim, há caveiras por todos os lados. O lugar tem uma vibe esquisita, mas é parada obrigatória para quem visita Évora. Esse papo de morte nos fez pensar como a vida é passageira. Logo, decidimos  aproveitar o que ela tem de melhor: comendo e bebendo bem!

 

IMG_4584 - CopiaSendo assim, fomos direto para o Fialho, restaurante bem tradicional, famoso e lotado (é bom reservar). O garçom vai colocando todas as entradas na mesa e você escolhe o que vai comer. Fomos de queijo de ovelha, polvo, pimentão, bolinho de bacalhau…enfim, praticamente tudo. Pedimos Bochecha de Porco Preto e Borrego assado com batatinhas de prato principal. Para acompanhar, uma garrafa do Alicante Bouschet Reguengos de Monsaraz 2009. Tudo fantástico. De quebra, ainda conhecemos um casal nota dez (Tony e Denize) entre uma comilança e outra e batemos altos papos!

IMG_4647 - CopiaPara terminar o dia com chave de ouro, a tão esperada visita à Adega da Cartuxa (Fundação Eugênio de Almeida), produtora de um dos mais conceituados tintos de Portugal, o Pêra Manca, que você pode comprar pela bagatela de 194 euros. Para quem realmente tiver coragem de investir, cada pessoa pode comprar apenas uma garrafa desse vinho, tá? Infelizmente, ele não entra na degustação, o que não tira a graça de forma alguma, porque além de provar outros tintos e brancos deliciosos, também fazemos degustação dos azeites, que são incríveis. Nem preciso dizer que voltei com um na mala, né?

No dia seguinte, quando estávamos de saída do hotel, Peter e Nina, proprietários da Albergaria do Calvário nos deram mais uma super dica: um lugar para almoçar a caminho de Estremoz e Marvão. Ligaram e falaram com o dono para reservar uma mesa pra gente. Então, seguimos direto pra lá, com a tradicional fome que Deus me deu.

IMG_4793O restaurante chama-se O Bolas e fica na cidade de Azaruja. Quando paramos o carro na frente pensamos – putz, será? Vamos arriscar?Não havia uma alma na rua. O restaurante mais parecia um boteco, mas foi tão bem recomendado, que resolvemos experimentar.

IMG_4796

 

Simples de tudo, O Bolas é comandado pelo Seu Bolas, como carinhosamente o chamamos, e sua esposa, que não somente gerenciam, como abrem a porta, nos levam à mesa, fazem a comida, servem os clientes, fecham a conta e, o mais gostoso, adoram bater um bom papo.

Se quiser provar a autêntica refeição alentejana, O Bolas é o lugar. E não adianta achar que vai escolher seu vinho e suas entradas. Seu Bolas fará questão de escolher por você. No máximo, você vai escolher o seu prato e olhe lá. Mas, fique tranquilo, Seu Bolas sabe o que está fazendo. Confie e deixe seus preconceitos de lado.

Para começar uma porção de Porco Preto, versão portuguesa do Pata Negra. Para compartilhar, uma sopa de poejo com ovos escalfados – não me perguntem o que é. Só sei que é bom demais – e costeleta de novilho grelhada, acompanha batata frita da Dona Bolas. Refeição caseira, simples e afetuosa. Não é à toa que O Bolas recebe diariamente pessoas vindas dos quatro cantos de Portugal. Conhecemos um casal que estava fazendo bate e volta de Lisboa, só para almoçar.

De lá, seguimos viagem para nosso próximo ponto de parada: Castelo de Vide e fizemos paradas estratégicas em mais duas vinícolas. Acompanhe os posts!

Bjs e até lá.

Restaurante Fialho

http://restaurantefialho.pt/

Adega Cartuxa

Para conhecer os tipos de visitas e valores, acesse o site e reserve com antecedência:

www.cartuxa.pt

Restaurante O Bolas ❤

Rua Conde Galveias, 22 – Azaruja

Quer saber mais sobre Portugal? Clique nos links abaixo:

Portugal de ponta a ponta

Nossa primeira parada na região do Algarve

Do Algarve à Costa Vicentina

Alentejo. Como não amar?

 

 

 

 

 

 

 

Imagem

Alentejo. Como não amar?

A caminho de Évora uma parada na pequena (e cheia de presença) vila medieval de Monsaraz é fundamental, além de um verdadeiro presente aos olhos.

Lá do alto, uma das vistas mais bonitas do Alentejo. Sensação de liberdade, amplitude, imensidão. De não conseguir identificar o começo e o fim da paisagem. De estar pertinho do céu.  Aquela imagem que não cabe na fotografia, mas ficará para sempre no coração.

 

IMG_4541Assim é Monsaraz. Uma pequena vila inteira murada, com suas calçadas e intrigantes ruelas de ardósia, que conectam ruas um pouco mais largas e, juntas, vão dando forma à pequena cidade de menos de 800 habitantes pra lá de hospitaleiros. Cercado por pés de limão siciliano, muitas flores e oliveiras, o vilarejo é tão encantador quanto seus moradores.

IMG_4491Lá dentro só se anda a pé. Os carros entram se for extremamente necessário para carga e descarga e é comum ver pessoas puxando suas malas ladeira abaixo (e acima). Em algumas horas você pode explorar todo o vilarejo, conhecer o imponente Castelo de Monsaraz, visitar as lojinhas de artesanato, tomar um delicioso café com docinhos portugueses e, por fim, contemplar essa paisagem maravilhosa, onde as fronteiras entre Portugal e Espanha se perdem de vista.

 

 

Saindo de Monsaraz, seguimos para o nosso destino, a cidade de Évora. Ficamos hospedados na charmosa e acolhedora Albergaria do Calvário por uma noite.

IMG_4612Pensem num lugar espirituoso, aconchegante, que te faz sentir em casa. Além do ambiente totalmente decorado pensando nesse conceito, os proprietários Nina (brasileira) e Peter (americano) dão o toque que falta para o hotel ficar perfeito. Bom humor, educação, gentileza e empatia: com esses ingredientes não tem como dar errado, né?

Foi uma pena não termos ficado mais tempo lá. Queria poder tomar aquele café da manhã natureba e saudável de novo, com Peter explicando suas receitas de granola e preparando deliciosas panquecas americanas pra gente. Peçam dicas de passeios e tours enogastronômicos, que eles vão adorar ajudar. Até uma garrafa de um dos seus vinhos alentejanos preferidos ganhamos de presente<3

IMG_4787

Casal nota mil, hospitalidade e acomodação idem. Voltaria com certeza e super recomendo!

No próximo post, conto como foi nossa experiência pelas ruas de Évora e o que encontramos no caminho para Estremoz e Marvão.

Hotel Albergaria do Calvario 

https://goo.gl/AvBkxQ

Quer saber mais sobre Portugal? Veja os posts abaixo!

Portugal de ponta a ponta

Nossa primeira parada na região do Algarve

Do Algarve à Costa Vicentina

Imagem

Do Algarve à Costa Vicentina

Escolher uma cidade na região do Algarve e usar como apoio é a melhor opção para explorar a região, pois lá tudo é bem pertinho e de fácil acesso. Usamos a cidade de Albufeira como base, mas chegamos à conclusão que mesmo no inverno, dois dias acabaram deixando o passeio um pouco mais corrido que o desejável. Estender mais uns dois dias seria o ideal.

IMG_4277Saímos bem cedinho do hotel, na Praia de São Rafael, e fomos descendo em direção a Sagres. Você vai encontrar lojinhas muito charmosas de cerâmica à beira da estrada. Difícil não se encantar com as cores e a criatividade dos artesãos. É uma peça mais linda que a outra. Se houver espaço na mala, é um ótimo souvenir para trazer como lembrança ou presentear alguém.

Uma portuguesa nos deu a dica de visitar a Praia dos Clérigos e disse que era sua preferida. Decidimos ir até lá para conhecer. Mas, não foi a praia que nos conquistou e sim um restaurante pequenininho e bem simples, de frente para o mar, onde comemos a porção de lula mais suculenta e bem temperada de nossas vidas (sim, melhor do que a do Kiki´s, na Grécia). Infelizmente, não me lembro do nome, mas só existem dois ou três restaurantes ali, então dá pra provar todas as lulas até encontrar a nossa favorita!

Saciados, seguimos viagem.

IMG_4336A Fortaleza de Sagres e o Farol do Cabo de São Vicente são paradas obrigatórias se você está nas redondezas.  Não há nada de muito especial, com exceção das paisagens impressionantes que já fazem valer a viagem. Sagres é conhecida como “o fim do mundo”, pois é o ponto mais a sudoeste de toda a Europa e não há foto que consiga representar a beleza indescritível do lugar. A força da natureza se faz presente. O vento é fortíssimo, então não espere conseguir tirar uma foto perfeita. É humanamente impossível.

IMG_4384

Praia de Dona Ana

O Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano também são um prato cheio para os amantes da natureza. A Rota Vicentina é o turismo ideal para quem quer apreciar a paisagem e os valores ambientais da costa litorânea do país. Lá, a todo tempo você se depara com peregrinos sem fôlego, mas cheios de esperança e persistência, seguindo o caminho apoiados em seus cajados e com um objetivo em comum: concluir o percurso de 350 km, que compreende o Caminho Histórico e o Trilho dos Pescadores.

 

Deixe para o final do dia a Praia de Dona Ana e a Ponta da Piedade. Aos amantes do pôr do sol, recomendo que assistam à perfeição do espetáculo nessa última praia. Lindo de viver, não acham?

IMG_4418

No dia seguinte, nos despedimos do Algarve e seguimos caminho rumo à Évora e às delícias do Alentejo que estavam por vir.

Para mais informações, acesse: www.rotavicentina.com

❤ Quer saber mais sobre Portugal? Veja os posts abaixo e fique ligado nos próximos!

Portugal de ponta a ponta

Nossa primeira parada na região do Algarve

Imagem

Nossa primeira parada na região do Algarve

Aterrissamos em Lisboa no início de novembro, época em que os últimos resquícios de calor já se despediram do continente europeu para dar lugar aos ventos frios do outono. Pensando nisso, resolvemos começar nossa volta em Portugal pelo sul do país (leia-se: praia).

IMG_4038Alugamos um carro e descemos para o nosso primeiro destino, a região do Algarve. Ficamos hospedados no São Rafael Atlântico, em Albufeira. Um hotel cinco estrelas, com preço surpreendentemente justo. A estrutura é tão impressionante quanto à de um grande resort nas nossas praias do nordeste. Spa, piscina interna e externa climatizadas, café da manhã dos deuses, staff gentil e sorridente, quarto amplo, limpo e cheiroso. Mas não para por aí…

A praia de São Rafael é praticamente privativa aos hóspedes do hotel. O caminho até lá é cercado por oliveiras, muito verde e gaivotas tagarelas que nos guiam até esse lugar que vocês veem nas fotos. Tenho fama de chorona, eu sei. Mas olhando essa imensidão de céu e mar, não pude conter a emoção. Só vendo para entender e sentir ❤

IMG_4189A praia pode não ser a mais popular e conhecida da região, mas sem dúvida é a mais linda que já vi. Sua encosta tem formações rochosas, a areia é clara e fofinha, a água do mar é límpida e mescla infinitas tonalidades de azul. A força das ondas, do vento e da água da chuva transformaram as rochas dessa praia em genuínas obras de arte da natureza.

Agora, um detalhe importante: em novembro a região mais parece uma cidade fantasma. Se você busca paz e sossego, sem problemas. Dá pra curtir as paisagens maravilhosas durante o dia e aproveitar a infra do hotel à noite. Nós bem que saímos para procurar restaurantes e bares, mas, para o nosso espanto, não havia nenhum aberto. Talvez alguns pensem: poxa, que azar…

Para nós, a maior sorte do mundo foi ter esse pedacinho de areia só pra gente. O silêncio que só dava espaço para o barulho das ondas do mar e o cantar das gaivotas…

A primeira parada em Portugal já conquistou nossos corações. O que mais estaria por vir?

Em breve mais relatos da nossa volta em Portugal. Acompanhe os posts cadastrando seu e-mail aqui no blog!

IMG_4098

NAU São Rafael Atlântico

https://www.saorafaelatlantico.com/pt/

Quer saber mais sobre destinos em Portugal? Clique aqui.

Imagem

Já pensou em ir para Omã?

Me - 1 of 45 (33)Nome: Renata Costa

Profissão: “Marketeira”

Quem é você? Solteira, 37 anos, amante de esportes radicais, boa comida, regada a um bom vinho e, claro, viagens. É doida por mapas e coleciona guias, especialmente os da Lonely Planet. Mora há mais de 10 anos fora do Brasil, mas é muito ligada à família e aos amigos.

Renata gosta de se desafiar e se reinventar a cada dia e afirma: “O desconhecido me fascina e acho que esse sentimento me impulsionou a morar em 3 países, aprender vários idiomas e explorar o que esse mundão tem para oferecer”

Qual o lugar mais incrível que você já visitou?

 Sou uma pessoa de sorte e tive a oportunidade de visitar muitos países, cada um incrível a sua maneira. Como o blog mesmo diz: em cada canto há sempre um encanto, né?

Aradian Camp Oman Jan 2011 (31)Mas, se for olhar por vários pontos, acredito que o Oman foi a vigem que mais me surpreendeu e me marcou. Ainda hoje consigo me lembrar de como me senti em certos momentos por lá. Espero ainda voltar e explorar mais o sul do país.

 O que despertou seu interesse para fazer essa viagem?

Uma brincadeira entre mim e meu ex-marido. Disse a ele: tô com vontade de viajar, mas não sei pra onde – queria girar o globo e ir para onde meu dedo parar…e foi assim que aconteceu (mais ou menos…rs).

O globo parou no Yemen, mas como naquela época estava tendo guerras civis lá, concordamos que, para não trapacear, iríamos ao país que fizesse fronteira com o Yemem. Assim, decidimos por Oman!

Conte um pouco do seu dia a dia. O que mais gostou/te impressionou? 

 Não tínhamos feito um itinerário dia a dia, a ideia era alugar um carro e explorar o máximo que podíamos durante os 10 dias que ficaríamos lá.

Alugamos um 4×4 e compramos um mapa.  No 1º dia resolvemos explorar a cidade de Muscat. No dia seguinte, conheci um senhor inglês que morava há mais de 15 anos em Muscat e ajudou o Lonely planet a escrever o guia de viagem sobre o país, além de ter escrito um livro sobre Oman, um dos mais vendidos na época.

Wadi Oman Jan 2011 (8)

Com todas essa referência, deixei que ele montasse meu itinerário para os próximos dias. Passamos 5 dias no deserto em companhia de um beduíno de verdade como guia (nada de tours no deserto para turistas). Uma das experiências mais incríveis da minha vida!

Algumas coisas que me  impressionaram:

Segurança – Oman e um país extremamente seguro.

Aradian Camp Oman Jan 2011 (20)Paisagens e estradas – A paisagem é sensacional e tem de tudo um pouco: deserto, mar, wadis, montanhas rochosas, camelo, ovelha, etc. O país ainda é pouco povoado, então você dirige por horas e só vê paisagens e animais. É uma sensação de paz incrível. As estradas são muito boas, o combustível custa menos do que água. Ou seja, explorar o país de carro não é só econômico, mas te permite ver muito mais do que você veria com tours de agência.

Sultan Qaboos Grand Mosque

Sultan Qaboos Grand Mosque

Costumes: Diferente de outros países muçulmanos que já fui, você não vê muitas mulheres omanitas caminhando pelas ruas. Nos restaurantes, normalmente elas se sentam em uma sala separada dos homens. Cardápios são somente em árabe e não há talheres a não ser que você peça.

Tem alguma recomendação ou dica para os nossos leitores? Um restaurante, uma vista, uma experiência imperdível?

  • Faça um city tour em Muscat antes de explorar país afora, assim você se familiariza com os costumes locais
  • Alugue um carro 4×4 para explorar melhor o país e lembre-se de ter sempre água e comida no carro, pois às vezes você tem que dirigir por horas até encontrar algum lugar que venda esses itens.
  • Tente entrar em contato com os beduínos e expatriados (eles são os melhores para dar conselhos sobre o que fazer e ver)
  • Passe alguns dias no deserto para:  viver como os verdadeiros beduínos vivem & passear de camelo e ver o sol se por atrás das dunas do deserto
  • Faça trekking nas montanhas e finalize o passeio com um mergulho nas águas cristalinas dos vários wadis.
  • Visite uma das reservas de proteção às tartarugas, assista ao nascimento de milhares delas e sua caminhada em direção ao mar, guiadas apenas pela luz da lua.
  • Acabe sua viagem com um ou dois dias em um dos luxuosos hotéis de Muscat. Além de lindos, normalmente possuem spas maravilhosos

Se pudesse descrever em poucas palavras a sensação de estar ali, o que diria?

 Gratidão. Sempre sonhei em viajar o mundo e, quando estava ali nesse lugar tão distante e de certa forma muito diferente de tantos lugares que já visitei, me senti uma pessoa de sorte, iluminada, como se tivesse preenchido um pouco mais esse meu desejo de “conquistar o mundo”. Sensação de missão cumprida!

JOGO RÁPIDO por Renata Costa

 Comida mais deliciosa: Carne de cordeiro com pão árabe e arroz de especiarias:  Shuwa (prato típico do deserto omani e modo de preparo muito interessante)

Uma bebida para acompanhar: suco de frutas, o de limão com menta é muito bom e refrescante!

A paisagem mais encantadora: os wadis em meio às montanhas rochosas

Wadi Oman Jan 2011 (9)

Para quantos países você já foi? 47

Próximo destino: Panamá

Rê,

Muito obrigada por dedicar um tempinho para a entrevista e compartilhar sua viagem com nossos leitores ❤

 

Imagem

Portugal de ponta a ponta

Confesso que sempre imaginei Portugal como um destino para a terceira idade. Acabei descobrindo que não sei de nada! Cai do cavalo no melhor dos sentidos.

Em novembro fomos para lá e tivemos uma experiência maravilhosa. Conhecemos pessoas de todas as idades e tribos. Nos sentimos seguros e acolhidos e entendemos porque tanta gente escolheu o país pra viver.

IMG_5141A começar pelos portugueses. Que povo gostoso de conviver! Eles têm uma pureza para lidar com as pessoas, se entregam de coração para ajudar o outro, sem esperar nada em troca. Puxe papo com eles e terá uma longa conversa sobre qualquer assunto. Essa é uma das especialidades da “casa”. Pode ser que a gente tenha dado sorte, pois só encontramos gente boa e do bem por todos os cantos em que passamos. E olha que foram muitos.

Começamos pela região do Algarve, onde ficam as praias mais lindas que já vi. Depois fomos para o Alentejo, subimos para a Serra da Estrela, passamos uns dias no Douro, rumamos sentido a Porto e descemos pela costa oeste até chegarmos em Lisboa. As paisagens variam muito de um lugar para outro, mas o que se mantem constante é a beleza peculiar e estonteante de cada cantinho.

Outra coisa maravilhosa é poder falar nossa própria língua e descobrir que as diferenças entre português de Portugal e o do Brasil podem ser muito divertidas.

IMG_5362Não poderia deixar de mencionar a riqueza de sabores que se tem à mesa na terrinha. Experimentamos e nos deliciamos com pratos inusitados, cheios de personalidade, criatividade e tempero. Sem contar uma infinidade de vinhos de excelente qualidade a preços extremamente atraentes.

Foram 2.600 Km rodados, 3.000 fotografias tiradas, quase 40 cidades percorridas durante 17 dias que ficarão para sempre guardados com todo carinho nas nossas lembranças.

Portugal é um país inesquecível. Não deixem de conhecer!

Ano que vem volto para contar cada detalhe dessa trip ❤

Desejo a todos um ano novo cheio de descobertas, viagens, conquistas e experiências incríveis.

Até 2018!

Bjs,

Mila