Imagem

Alentejo. Como não amar?

A caminho de Évora uma parada na pequena (e cheia de presença) vila medieval de Monsaraz é fundamental, além de um verdadeiro presente aos olhos.

Lá do alto, uma das vistas mais bonitas do Alentejo. Sensação de liberdade, amplitude, imensidão. De não conseguir identificar o começo e o fim da paisagem. De estar pertinho do céu.  Aquela imagem que não cabe na fotografia, mas ficará para sempre no coração.

 

IMG_4541Assim é Monsaraz. Uma pequena vila inteira murada, com suas calçadas e intrigantes ruelas de ardósia, que conectam ruas um pouco mais largas e, juntas, vão dando forma à pequena cidade de menos de 800 habitantes pra lá de hospitaleiros. Cercado por pés de limão siciliano, muitas flores e oliveiras, o vilarejo é tão encantador quanto seus moradores.

IMG_4491Lá dentro só se anda a pé. Os carros entram se for extremamente necessário para carga e descarga e é comum ver pessoas puxando suas malas ladeira abaixo (e acima). Em algumas horas você pode explorar todo o vilarejo, conhecer o imponente Castelo de Monsaraz, visitar as lojinhas de artesanato, tomar um delicioso café com docinhos portugueses e, por fim, contemplar essa paisagem maravilhosa, onde as fronteiras entre Portugal e Espanha se perdem de vista.

 

 

Saindo de Monsaraz, seguimos para o nosso destino, a cidade de Évora. Ficamos hospedados na charmosa e acolhedora Albergaria do Calvário por uma noite.

IMG_4612Pensem num lugar espirituoso, aconchegante, que te faz sentir em casa. Além do ambiente totalmente decorado pensando nesse conceito, os proprietários Nina (brasileira) e Peter (americano) dão o toque que falta para o hotel ficar perfeito. Bom humor, educação, gentileza e empatia: com esses ingredientes não tem como dar errado, né?

Foi uma pena não termos ficado mais tempo lá. Queria poder tomar aquele café da manhã natureba e saudável de novo, com Peter explicando suas receitas de granola e preparando deliciosas panquecas americanas pra gente. Peçam dicas de passeios e tours enogastronômicos, que eles vão adorar ajudar. Até uma garrafa de um dos seus vinhos alentejanos preferidos ganhamos de presente<3

IMG_4787

Casal nota mil, hospitalidade e acomodação idem. Voltaria com certeza e super recomendo!

No próximo post, conto como foi nossa experiência pelas ruas de Évora e o que encontramos no caminho para Estremoz e Marvão.

Hotel Albergaria do Calvario 

https://goo.gl/AvBkxQ

Quer saber mais sobre Portugal? Veja os posts abaixo!

Portugal de ponta a ponta

Nossa primeira parada na região do Algarve

Do Algarve à Costa Vicentina

Anúncios
Imagem

Nossa primeira parada na região do Algarve

Aterrissamos em Lisboa no início de novembro, época em que os últimos resquícios de calor já se despediram do continente europeu para dar lugar aos ventos frios do outono. Pensando nisso, resolvemos começar nossa volta em Portugal pelo sul do país (leia-se: praia).

IMG_4038Alugamos um carro e descemos para o nosso primeiro destino, a região do Algarve. Ficamos hospedados no São Rafael Atlântico, em Albufeira. Um hotel cinco estrelas, com preço surpreendentemente justo. A estrutura é tão impressionante quanto à de um grande resort nas nossas praias do nordeste. Spa, piscina interna e externa climatizadas, café da manhã dos deuses, staff gentil e sorridente, quarto amplo, limpo e cheiroso. Mas não para por aí…

A praia de São Rafael é praticamente privativa aos hóspedes do hotel. O caminho até lá é cercado por oliveiras, muito verde e gaivotas tagarelas que nos guiam até esse lugar que vocês veem nas fotos. Tenho fama de chorona, eu sei. Mas olhando essa imensidão de céu e mar, não pude conter a emoção. Só vendo para entender e sentir ❤

IMG_4189A praia pode não ser a mais popular e conhecida da região, mas sem dúvida é a mais linda que já vi. Sua encosta tem formações rochosas, a areia é clara e fofinha, a água do mar é límpida e mescla infinitas tonalidades de azul. A força das ondas, do vento e da água da chuva transformaram as rochas dessa praia em genuínas obras de arte da natureza.

Agora, um detalhe importante: em novembro a região mais parece uma cidade fantasma. Se você busca paz e sossego, sem problemas. Dá pra curtir as paisagens maravilhosas durante o dia e aproveitar a infra do hotel à noite. Nós bem que saímos para procurar restaurantes e bares, mas, para o nosso espanto, não havia nenhum aberto. Talvez alguns pensem: poxa, que azar…

Para nós, a maior sorte do mundo foi ter esse pedacinho de areia só pra gente. O silêncio que só dava espaço para o barulho das ondas do mar e o cantar das gaivotas…

A primeira parada em Portugal já conquistou nossos corações. O que mais estaria por vir?

Em breve mais relatos da nossa volta em Portugal. Acompanhe os posts cadastrando seu e-mail aqui no blog!

IMG_4098

NAU São Rafael Atlântico

https://www.saorafaelatlantico.com/pt/

Quer saber mais sobre destinos em Portugal? Clique aqui.

Imagem

Já pensou em ir para Omã?

Me - 1 of 45 (33)Nome: Renata Costa

Profissão: “Marketeira”

Quem é você? Solteira, 37 anos, amante de esportes radicais, boa comida, regada a um bom vinho e, claro, viagens. É doida por mapas e coleciona guias, especialmente os da Lonely Planet. Mora há mais de 10 anos fora do Brasil, mas é muito ligada à família e aos amigos.

Renata gosta de se desafiar e se reinventar a cada dia e afirma: “O desconhecido me fascina e acho que esse sentimento me impulsionou a morar em 3 países, aprender vários idiomas e explorar o que esse mundão tem para oferecer”

Qual o lugar mais incrível que você já visitou?

 Sou uma pessoa de sorte e tive a oportunidade de visitar muitos países, cada um incrível a sua maneira. Como o blog mesmo diz: em cada canto há sempre um encanto, né?

Aradian Camp Oman Jan 2011 (31)Mas, se for olhar por vários pontos, acredito que o Oman foi a vigem que mais me surpreendeu e me marcou. Ainda hoje consigo me lembrar de como me senti em certos momentos por lá. Espero ainda voltar e explorar mais o sul do país.

 O que despertou seu interesse para fazer essa viagem?

Uma brincadeira entre mim e meu ex-marido. Disse a ele: tô com vontade de viajar, mas não sei pra onde – queria girar o globo e ir para onde meu dedo parar…e foi assim que aconteceu (mais ou menos…rs).

O globo parou no Yemen, mas como naquela época estava tendo guerras civis lá, concordamos que, para não trapacear, iríamos ao país que fizesse fronteira com o Yemem. Assim, decidimos por Oman!

Conte um pouco do seu dia a dia. O que mais gostou/te impressionou? 

 Não tínhamos feito um itinerário dia a dia, a ideia era alugar um carro e explorar o máximo que podíamos durante os 10 dias que ficaríamos lá.

Alugamos um 4×4 e compramos um mapa.  No 1º dia resolvemos explorar a cidade de Muscat. No dia seguinte, conheci um senhor inglês que morava há mais de 15 anos em Muscat e ajudou o Lonely planet a escrever o guia de viagem sobre o país, além de ter escrito um livro sobre Oman, um dos mais vendidos na época.

Wadi Oman Jan 2011 (8)

Com todas essa referência, deixei que ele montasse meu itinerário para os próximos dias. Passamos 5 dias no deserto em companhia de um beduíno de verdade como guia (nada de tours no deserto para turistas). Uma das experiências mais incríveis da minha vida!

Algumas coisas que me  impressionaram:

Segurança – Oman e um país extremamente seguro.

Aradian Camp Oman Jan 2011 (20)Paisagens e estradas – A paisagem é sensacional e tem de tudo um pouco: deserto, mar, wadis, montanhas rochosas, camelo, ovelha, etc. O país ainda é pouco povoado, então você dirige por horas e só vê paisagens e animais. É uma sensação de paz incrível. As estradas são muito boas, o combustível custa menos do que água. Ou seja, explorar o país de carro não é só econômico, mas te permite ver muito mais do que você veria com tours de agência.

Sultan Qaboos Grand Mosque

Sultan Qaboos Grand Mosque

Costumes: Diferente de outros países muçulmanos que já fui, você não vê muitas mulheres omanitas caminhando pelas ruas. Nos restaurantes, normalmente elas se sentam em uma sala separada dos homens. Cardápios são somente em árabe e não há talheres a não ser que você peça.

Tem alguma recomendação ou dica para os nossos leitores? Um restaurante, uma vista, uma experiência imperdível?

  • Faça um city tour em Muscat antes de explorar país afora, assim você se familiariza com os costumes locais
  • Alugue um carro 4×4 para explorar melhor o país e lembre-se de ter sempre água e comida no carro, pois às vezes você tem que dirigir por horas até encontrar algum lugar que venda esses itens.
  • Tente entrar em contato com os beduínos e expatriados (eles são os melhores para dar conselhos sobre o que fazer e ver)
  • Passe alguns dias no deserto para:  viver como os verdadeiros beduínos vivem & passear de camelo e ver o sol se por atrás das dunas do deserto
  • Faça trekking nas montanhas e finalize o passeio com um mergulho nas águas cristalinas dos vários wadis.
  • Visite uma das reservas de proteção às tartarugas, assista ao nascimento de milhares delas e sua caminhada em direção ao mar, guiadas apenas pela luz da lua.
  • Acabe sua viagem com um ou dois dias em um dos luxuosos hotéis de Muscat. Além de lindos, normalmente possuem spas maravilhosos

Se pudesse descrever em poucas palavras a sensação de estar ali, o que diria?

 Gratidão. Sempre sonhei em viajar o mundo e, quando estava ali nesse lugar tão distante e de certa forma muito diferente de tantos lugares que já visitei, me senti uma pessoa de sorte, iluminada, como se tivesse preenchido um pouco mais esse meu desejo de “conquistar o mundo”. Sensação de missão cumprida!

JOGO RÁPIDO por Renata Costa

 Comida mais deliciosa: Carne de cordeiro com pão árabe e arroz de especiarias:  Shuwa (prato típico do deserto omani e modo de preparo muito interessante)

Uma bebida para acompanhar: suco de frutas, o de limão com menta é muito bom e refrescante!

A paisagem mais encantadora: os wadis em meio às montanhas rochosas

Wadi Oman Jan 2011 (9)

Para quantos países você já foi? 47

Próximo destino: Panamá

Rê,

Muito obrigada por dedicar um tempinho para a entrevista e compartilhar sua viagem com nossos leitores ❤

 

Imagem

Alta gastronomia em Provence

Tem coisa melhor do que encontrar, quando menos se espera, um lugar incrível para almoçar durante uma viagem? Não. Principalmente, para quem, assim como eu, costuma ficar mal humorada quando tem fome!

Estávamos há horas na estrada, indo de Borgonha para Provence, na França. Nosso destino final era a cidade de Joucas, que fica em Luberon, um lugar imperdível para quem visita a região.

Eis que, de repente, no meio da estrada, passamos por um lugar que me chamou a atenção. Era o restaurante Lou Caleù, que fica em Saint-Martin-de-Castillon. Tinha um charme bucólico, bem peculiar e provençal. Simples e rústico, mas completamente encantador.

IMG_7646Entramos, escolhemos uma mesa na área externa, ao lado de belas lavandas e pedimos o cardápio. Só que não tinha. Todos os pratos do menu estavam escritos em pequenas lousas, que a dona deixava na porta do restaurante.  Tudo escrito em francês. Que “marravilha”!

Fizemos nosso pedido sem saber exatamente o que iríamos comer. Definitivamente, isso não foi um problema. Os pratos eram de alta gastronomia e realmente nos surpreenderam. Deu pra notar que o chef buscava valorizar ingredientes locais e preparou combinações com extremo sabor e excelência.

IMG_7642De entrada uma saladinha de folhas com romã e uma massa filo recheada com queijo de cabra. O prato principal foi um magret de pato com molho de laranja e especiarias, que comi pela primeira vez e fiquei apaixonada pelo sabor! E de sobremesa….bom, dizem por aí que uma imagem vale mais que mil palavras….

IMG_7653

O Lou Caleù, além de um ótimo restaurante, é também um hotel. Não chegamos a conhecer a estrutura, mas, tomando por base o que experimentamos, em todos os níveis sensoriais da palavra, imagino que seja igualmente interessante.

Que coisa boa foi encontrar, mais esse encanto em Provence, que, aliás, está repleta deles por todos os cantos. Com certeza, foi uma surpresa deliciosa (em todos os sentidos)!

Lou Caleù ❤

http://www.loucaleu.com/

84750 Saint-Martin-de-Castillon

Imagem

Bonito, o destino mais lindo de MS!

BURACO DAS ARARASNome: Alexandre Silva Jardim

Profissão: Editor de Vídeos

 Quem é você? Ale Jardim, tenho 33 anos, solteiro, amante de esportes radicais e da natureza. Meu hobby é a fotografia!

*Pensem num cara do bem, boa praça, inteligente e super divertido. Esse é o Ale, o genro que toda mãe pediu a Deus!

Qual o lugar mais incrível que você já visitou?

 ABISMO_02Nunca fui de viajar muito (infelizmente), mas um lugar que gostei bastante de conhecer foi a Cordilheira dos Andes, no Chile. O pôr do sol nas montanhas com neve foi com certeza a coisa mais bela que eu já vi. Em Bonito, o abismo Anhumas, foi impressionante por alguns motivos, a maneira de entrar e sair da gruta, o medo enorme que você passa no rapel e a surpresa que você encontra na hora que o sol entra pela fresta da gruta.

O que despertou seu interesse para fazer essa viagem?

 Bonito, no Mato Grosso do Sul, sempre foi um destino que eu tinha vontade de conhecer só de ver fotos e reportagens. E, no ano de 2016, consegui tirar um mês de férias em dezembro. Sem pensar duas vezes já programei a viagem!

Conte um pouco do seu dia a dia. O que mais gostou/te impressionou?  O dia a dia foi bem tranquilo, mas sempre acordando muito cedo. Marquei os passeios todos começando pela manhã. Tentei fazer dois por dia em média.

PASSEIO_ESTANCIA_MIMOSAGostei muito da cidade, típica cidade de interior, pequena e acolhedora, onde você anda de noite sem se preocupar, pessoas muito legais, comida muito boa, ótimas opções, passando por churras, japonês, pastel de jacaré, e peixes assados dos mais variados!

Tem alguma recomendação ou dica para os nossos leitores? Um restaurante, uma vista, uma experiência imperdível?

 O restaurante Juanita é uma excelente pedida para almoço. Sem pensar duas vezes, peçam o Pacu na brasa, muito bom mesmo.
Em relação a passeios, uma flutuação não pode ficar de fora. A proximidade com os peixes e a natureza é demais. Opções de flutuação é o que não falta.

FLUTUACAO_RIO_DA_PRATA.jpg

Flutuação – Rio da Prata

Para quem gosta de cachoeira, tem a Boca da Onça, que eu não conheci, pois tive a difícil missão de escolher entre essa cachoeira e o abismo (optei pelo Abismo). Para dias com tempo sobrando, ir aos balneários também é ótimo. Rápido, barato e pertíssimo da cidade, coisa de 5 minutos de moto taxi. Uma boa também é fazer os passeios de bote e rafiting.

 

Se pudesse descrever em poucas palavras a sensação de estar ali, o que diria? Bonito é lindo! ❤

 

JOGO RÁPIDO por Ale Jardim: 

Comida mais deliciosa: Pacu na brasa

Uma bebida para acompanhar: Cerveja

A paisagem mais encantadora: Abismo Anhumas\Buraco das araras

Para quantos países você já foi? EUA e Chile

Próximo destino: muitos em mente, mas nenhum definido

Quer saber mais sobre Bonito?  Acesse: http://www.bcvb.com.br

 

 

Imagem

The Majestic Hotel Santorini

Ai, que saudade que eu estava de escrever e compartilhar com vocês minhas andanças por aí!

Hoje vou falar de um dos hotéis que nos hospedamos na nossa lua de mel na Grécia.

Em Santorini, escolhemos o The Majestic Hotel, que fica na cidade de Fira, a 10 km da cobiçada Oia.

oiaNas nossas pesquisas, descobrimos que não se hospedar no centro de Oia, onde as vistas são inegavelmente mais incríveis, pode ser uma opção bem mais em conta! A verdade é que Santorini é charmosa e linda por inteiro. Não importa onde você esteja, sempre haverá algo de belo para se admirar. Literalmente, em cada canto, um encanto ❤

Com certificado de excelência do Tripadvisor, eu dou nota dez para os quesitos limpeza, conforto e atendimento do hotel. Escolhemos o quarto Volcano Sea View, com uma vista privilegiada para o vulcão. O quarto tem uma decoração minimalista e funcional, com estilo bem clean e muita iluminação natural, o que valorizo bastante.

O serviço de bar e restaurante também são muito bons. Aliás, é difícil não se apaixonar pela gastronomia grega. Você até aprende a comer pepino, tomate e iogurte no café da manhã de tão saborosos que são os alimentos e temperos. A riqueza de sabores e aromas dessa culinária dos deuses é bem marcante e, inevitavelmente, arrebata o estômago dos pobres mortais. Nossa, bateu aquela saudade agora…

smartAh, se você pensa em alugar um carro, aqui vai uma dica importante: as ruelas de Santorini são muito estreitas e movimentadas. Por isso, resolvemos alugar um pequenino e simpático Smart para circular nos arredores da cidade. Foi a melhor coisa que fizemos! Prático e fácil de estacionar. O hotel tem uma comodidade: faz parceria com as locadoras e nos fornece uma pastinha com as opções, fotos e preços. Você escolhe seu carro e eles entregam no próprio hotel. Adorei!

E, vou me despedindo por aqui, deixando um pedacinho de Santorini com vocês: o pôr do sol que nos abençoava ao final de cada dia…

santorini pôr do sol

Lindo de viver, não é?

 

The Majestic Hotel Santorini

http://www.hotel-majestic.gr/

*Quer saber mais sobre a Grécia? Veja os posts abaixo! ❤

A culinária digna dos DeusesA culinária digna dos Deuses

Um segredo bem guardadoUm segredo bem guardado

Mykonos pé na areia

Santorini e seu majestoso pôr do sol

A melhor pizza….de Mykonos!

Atenas, onde a história ainda vive

 

Imagem

Borgonha e a vida das vinhas

Um dia desses assisti ao documentário “A Year in Burgundy”, no Netflix. Ele mostra o processo de produção de vinhos de algumas famílias produtoras de Borgonha. Cada estágio da produção é acompanhado pela francesa Martine Saunier, uma das maiores e mais respeitadas importadoras de vinho de São Francisco. Profunda conhecedora das particularidades das vinhas francesas, ela seleciona pessoalmente os vinhos que compra.

IMG_7249Há centenas de anos, quando não havia estudos geológicos avançados, os vinicultores perceberam que as mesmas uvas, plantadas em diferentes partes do terreno, tinham sabor diferente. Então, cada terroir foi demarcada e fechada com portões, que definiam a propriedade de cada um dos produtores. Os vinhos da região recebem o nome dessas vilas onde são produzidos e imprimem a personalidade de seu vinicultor, como se contassem um pouquinho de sua história.

Estivemos na França em 2014, e fizemos a Route des Grands Crus, passando por diversas vinícolas. Queria ter conhecido essa história linda de dedicação, precisão, amor e carinho, antes de ter feito a viagem pela região. Se eu já me emocionei por estar lá, em meio a todos aqueles vinhedos sem fim, imaginem se tivesse feito esse passeio depois de entender bem todo o esforço que, passado de geração para geração, está por trás da identidade das vinhas. Afinal, o bom vinho vem dos corações e das mentes das pessoas que os criam, não é mesmo?

Uma coisa é verdade, depois que você conhece as particularidades dos vinhos de Borgonha, a natureza, o terroir e a arte que os tornam tão singulares e especiais, é impossível não se apaixonar.

Se você estiver planejando uma viagem para a região, considere levar aquelas malas próprias para transporte de garrafas, pois a qualidade dos vinhos é excepcional e você vai se arrepender de não voltar com a mala cheia! Os destaques, na minha opinião, são as uvas Pinot Noir e Chardonnay. Ah, não deixe de visitar a Château de Corton-Andre. É bárbara! Outra dica de ouro é se hospedar em algum dos vilarejos da Route des Grands Crus, assim você pode fazer todas as degustações que quiser, como se não houvesse amanhã!

Château de Corton-Andre ❤

Rue d’Aloxe Corton, 21420 Aloxe-Corton, França

http://www.corton-andre.com/

*Quer saber mais sobre a Borgonha? Clique nos posts abaixo:

Route des Grands Crus

De Dijon à Beaune: surpresas gastronômicas