Imagem

Atenas, onde a história ainda vive

Depois do nosso primeiro voo numa classe executiva, e de uma alegria imensa por não ter que comer com talheres de plástico, chegamos ao nosso tão sonhado destino de lua de mel. Começamos pela belíssima Atenas…

p1040014Nossa 1ª refeição foi no quarto do hotel mesmo: salada grega e souvlaki. Ambos sensacionais. A culinária mediterrânea é muito saborosa e marcante. Virei fã. O queijo feta tem personalidade e traz um sabor incrível à salada grega e outros pratos. Os frutos do mar são os mais frescos que você poderia querer e as carnes têm um tempero perfumado de especiarias e ervas, tudo na medida certa. O tomate não é tão ácido, parece mais adocicado e o azeite, ah o azeite… se alguém nesse mundo sabe fazer o autêntico e perfeito extra virgem, esse alguém é o grego. Deus do céu, o que é aquilo! Veja aqui e aqui outras delícias gregas.

Ficamos menos de 2 dias em Atenas, mas tivemos tempo de descobrir muitos dos encantos da capital grega. Berço da civilização, da filosofia e do teatro, a cidade é história pura. Em um dia passamos pelas edificações mais famosas do mundo antigo: Acrópole, Partenon, Templo de Hefesto, Erecteion, Teatro de Dionísio, Estádio Panatenaico, entre outros pontos turísticos imperdíveis. Esses suntuosos monumentos estão em constante restauração para que a beleza de suas estruturas seja preservada ao longo do tempo. Dica: quando for fazer esse passeio histórico, recomendo o uso de tênis, pois as pedras são muito escorregadias. Eu fui de chinelo e me dei mal…rs

dsc00003

p1040114

Não deixe de passear pela Praça Syntagma, onde se encontra o Parlamento Helênico. Se não me engano, de hora em hora acontece a troca de guarda, uma “cerimônia” muito bacana de se ver. Caminhar pelas ruas do bairro de Plaka também é muito gostoso. São tantas lojas com produtos artesanais e típicos da cultura grega, como tecidos, especiarias, azeites e muitas outras delícias gastronômicas, que dá vontade de trazer tudo dentro da mala. Foi mais ou menos o que eu fiz 🙂

O concierge do hotel nos recomendou uma visita ao Monte Lycabettus, o ponto mais alto da cidade, que fica 277 metros acima do nível do mar, localizado no elegante bairro de Kolonaki. Como fomos à noite, optamos por ir de táxi mesmo. Chegando lá, compramos o ticket para o funicular que nos leva até o topo. Quem animar também pode subir por uma trilha ou pelas escadas em torno da montanha.

A vista lá de cima é espetacular. Você consegue ver a cidade toda e os monumentos iluminados ao longe. Lá tem também uma igrejinha, onde compramos velas e fizemos nossa oração e agradecimento. Como não sabíamos da existência desse lugar, nem tivemos tempo de fazer reserva no restaurante que, naquela noite, estava lotado. O máximo que conseguimos foi tomar um drink no bar. Então, fica a dica para quem for fazer o passeio: vá no final do dia para assistir ao pôr do sol e reserve uma mesa no Orizonte Lycabettus Restaurant com bastante antecedência.

Saímos de lá, com o casal queridíssimo de brasileiros, que também estavam em lua de mel no nosso hotel, e fomos jantar num restaurante à beira mar (esqueci o nome…rs). Comemos frutos do mar deliciosos, regados a muito vinho branco e boas risadas. Assim, encerramos a primeira etapa da nossa viagem…

Orizontes Lycabettus Restaurant

http://www.orizonteslycabettus.gr/the-restaurant/?lang=en

Aristippou 1, Athina 106 76, Grécia

Quer saber mais sobre a Grécia? Clique aqui e aqui.

Anúncios
Imagem

Cape winelands e cafuné nos cheetahs!

Depois de algumas degustações de vinho em Stellenbosch, fomos até a cidadezinha de Franschhoek para almoçar no La Petite Ferme, que foge um pouco dos roteiros mais turísticos das winelands próximas à Cape Town.

img_2205A vista estonteante dos vinhedos e montanhas, o clima bucólico e caseiro, o ar puro da fazenda, a natureza em abundância, tudo isso faz com que o lugar se torne incrivelmente encantador. Você também pode se hospedar nas belíssimas acomodações do La Petite Ferme. Imagine só acordar com uma vista maravilhosa como essa todas as manhãs!

img_2268Tente reservar uma mesa na varanda para poder apreciar a vista enquanto deleita-se com sua refeição. Pedi uma truta defumada com mini batatas e o Mau pediu uma perna de coelho com legumes. Ficamos impressionados com a qualidade dos pratos. Simples e, ao mesmo tempo, com sabores delicados e sofisticados. Sem dúvida, um dos melhores achados gastronômicos da região. Para acompanhar, pedimos uma garrafa de um delicioso viogner, produzido pela própria casa.

Na volta para Cape Town, se você tiver um tempo e quiser conhecer os guepardos, recomendo o passeio até o Cheetah Outreach, uma organização sem fins lucrativos, que tem como objetivo garantir a sobrevivência da espécie. Eles têm um programa que ajuda esses animais ameaçados de extinção, deixando-os viver em liberdade, mas acompanhando sua criação e fornecendo todos os cuidados necessários para uma vida longa e saudável.

img_2254Você pode visitar e até fazer um cafuné neles, seguindo todas as recomendações da equipe. Mas, por mais que tenha alguém dizendo que é seguro, você pensa: o cara é o animal mais veloz do mundo, vai de 0 a 100 em segundos. Se ele quiser que eu vire o jantar dele, não vai ter para ninguém. Então, mesmo com o coração a mil por hora e um baita medo, eu fui. Fiz um chamego no Ebony, este lindão da foto, e percebi que estar cara a cara, tocando num animal selvagem é a sensação mais louca desse mundo. Indescritível!

Para saber mais sobre o projeto entre no site:

http://www.cheetah.co.za

Quer saber mais sobre as degustações de vinho em Stellenbosch? Clique aqui.

 

Imagem

Mykonos pé na areia

Além de ser louca por viagens, sou realmente fã de comida. Como com prazer, com alegria, com atenção aos sabores e aromas. Como com os olhos, boca e nariz.

Gosto do layout dos pratos, de apreciar as obras de arte que os chefs criam na cozinha, de sentir o cheirinho do parmesão gratinado à distância, de sentir a explosão do tomate fresco, do crocante da cebola, do aroma sedutor do funghi, da combinação de cores, do doce com o salgado, do azedo, do amargo, do apimentado, das especiarias. Gosto de comer bem e sempre topo programas gastronômicos, de preferência regados com muito vinho.

E por falar neles, me lembrei de dois lugares bem especiais e encantadores da ilha de Mykonos, na Grécia, que valem uma longa parada.

P1040535 - CopiaUm dos meus restaurantes preferidos é o Ithaki, localizado na praia de Ornos. Ele conseguiu ganhar ponto em todos os quesitos. Pé na areia, vista estonteante para o mar, comida muito bem preparada e apresentada, preço adequado e ambiente nota mil. Aliás, foi o que mais me conquistou. Internamente ele tem delicadas pinturas nas paredes, decoração viva, cheia de cores, espalhadas em pequenos detalhes e nas inúmeras almofadas que enfeitam o local.

P1040536 - CopiaPor ser pé na areia, ele é bastante casual e muito procurado, tanto no almoço, quanto no jantar, por isso, é bom reservar. Especializado em culinária grega e mediterrânea, é difícil não se apaixonar pelos seus pratos, geralmente repletos de frutos do mar, tomate, cogumelos e muito, muito azeite. Se eu tivesse que resumir o Ithaki em poucas palavras, eu diria: comida saborosa, charme puro e muito alto astral.

P1040702Para quem procura uma opção um pouco mais sossegada, mas igualmente maravilhosa, recomendo o Hippie Fish, localizado na praia de Ai Yanni. O restaurante, apesar de também ser pé na areia, me pareceu um pouco mais requintado. Casual, mas ao mesmo tempo elegante, sabe?

Foi lá que experimentei pela primeira vez o tzatziki, aquela divina pasta de iogurte, pepino, alho e dill, com um sabor refrescante e marcante, do qual não vou me esquecer jamais. Além de servir comida típica grega e mediterrânea, o restaurante também tem opções de comida japonesa, mas eu sugiro que você prove o máximo possível da comida local, que é extremamente saudável e deliciosa.

Eu e meu marido somos loucos por frutos do mar. Então, pedimos carpaccio de robalo, lula, camarões e para acompanhar, uma garrafa de vinho branco grego, de uma uva que nunca tínhamos ouvido falar, chamada Assyrtiko, bem mineral, que harmonizou perfeitamente com os pratos. De sobremesa fomos de baklava, doce de nozes bem tradicional com massa filo e mel. Dos deuses!P1040704

Almoçar com uma vista dessas, abre qualquer apetite.

Quando for para Mykonos, escolha um restaurante à beira mar que mais lhe agrade, desconecte-se de seu celular ou qualquer outra fonte de distração, peça um vinho branco e deleite-se com a culinária mediterrânea e a vista que esse paraíso grego tem a oferecer.

 

Imagem

Um segredo bem guardado

O segredo mais bem guardado da ilha – dizia a indicação do guia de viagem.

Ficamos intrigados com a descrição e boas referências do restaurante e já o incluímos na lista de “must go” da Grécia, quando começamos a planejar nossa viagem.

Localizado ao norte de Mykonos, na praia de Agios Sostis, Kiki´s Tavern é um restaurante que poderia passar facilmente despercebido, se não fosse pela fila de pessoas do lado de fora, esperando por uma mesa.

Já faz alguns anos que fomos para lá, mas, na época, lembro que não encontramos o endereço na internet e não havia nenhuma sinalização ou placa indicando sua localização. Apenas colocamos o nome da praia no GPS e seguimos para lá.

Rodamos pelas redondezas, parando em cada ruazinha e perguntando aos moradores e turistas se conheciam o restaurante. Não sei se realmente ele devia ser mantido em segredo, mas o engraçado é que a maioria das pessoas dizia que não o conhecia, ou respondia alguma coisa em grego, o que, definitivamente, não ajudava muito.

De repente, avistamos um cantinho cheio de gente na frente. Só poderia ser ali. Estacionamos o carro um pouco adiante, pois não havia vagas. Chegando lá, perguntamos para uma pessoa na fila se ali era o famoso Kiki´s e a resposta afirmativa, acompanhada de um sorriso no rosto, confirmou o que tanto esperávamos. Finalmente havíamos chegado!

Enquanto esperávamos pela nossa mesa, pedimos um vinho branco da casa, geladinho e refrescante, perfeito para amansar o calor do verão.

O restaurante de estilo rústico e casual, tem poucas mesas, que ficam sob um telhado de madeira vazado e entrelaçado por plantas trepadeiras e, ainda, conta com uma vista estonteante da pequena praia de Agios Sostis.

Especializado em comida grega e frutos do mar, no Kiki´s os pratos são preparados na brasa e servidos com a simpatia e a alegria que só os gregos têm. Seguimos a recomendação do guia à risca e pedimos lula grelhada e peito de frango recheado com queijo feta e tomate seco. Simplesmente imperdíveis.

Depois de almoçar com esta vista privilegiada, o melhor a fazer é descer a trilha que dá acesso à praia, dar um mergulho no mar, estender sua canga e relaxar.

Obs.: peço desculpas à tradição local, mas me senti na obrigação de compartilhar esse segredo com você!

Imagem

A culinária digna dos Deuses

Não foi difícil escolher o destino da nossa lua de mel.

A Grécia sempre foi uma certeza para nós. Difícil foi não se apaixonar pelas experiências gastronômicas que tivemos por lá. Algumas delas vou contar para vocês hoje.

Na primeira noite em Atenas, por indicação de um amigo, fomos jantar no Dionysos. Fique atento à localização, pois estabelecimentos com este nome são bem comuns em diversas cidades gregas. Estou falando do Dionysos Zonar´s.

O restaurante, além de servir pratos extremamente bem preparados, tipicamente mediterrâneos, tem atendimento impecável e uma vista privilegiada da Acrópole, que fica ainda mais bela e suntuosa, iluminada à noite.

De entrada, nossa escolha foi queijo de cabra e ervas aromáticas, com seu sabor forte e marcante. Os pratos principais foram moussaka (lasanha de berinjela) e risoto de cogumelos, ambos divinos.  Para acompanhar, pedimos um vinho tinto produzido com a uva grega Agiorgitiko. Vale à pena!

Na manhã seguinte, conhecemos um casal de brasileiros, hospedados no mesmo hotel e também em lua de mel. Foi empatia instantânea e já combinamos de fazer todos os passeios juntos. A sintonia foi tanta que tentamos até conciliar o próximo destinos da viagem, já que iríamos para Santorini primeiro, e eles para Mykonos, mas acabamos não conseguindo.

Visitamos as principais atrações da capital do berço da civilização, democracia e filosofia, depois paramos em uma pracinha para almoçar.

Tudo no cardápio parecia delicioso e a nossa pedida foi a famosa salada grega com  queijo feta (bem clichê mesmo) e um saganaki – queijo frito, com páprica, limão siciliano e tomates frescos. Só de olhar para essa foto consigo me lembrar do sabor de cada tempero e fico com água na boca.

Meu sacrilégio foi demorar tempo demais para descobrir o tzatziki, um molho à base de iogurte, pepino, alho e dill. Para ser sincera, eu nunca fui muito fã de iogurte, por isso demorei a experimentar, mas depois que provei, ele se tornou meu companheiro inseparável, pois combina com tudo e é muito refrescante.

A culinária grega vai além da necessidade fisiológica de se alimentar. O que a torna especial é saboreá-la em meio à beleza, à história, à tradição. Alimentos extremamente frescos, suculentos e saborosos, que têm o poder de nos deixar com gostinho de quero mais.