Imagem

Garibaldi, a capital brasileira do espumante

Garibaldi é (re)conhecida como a capital brasileira do espumante e é lá que acontece anualmente a Fenachamp, Feira Nacional da Champanha. A cidade que abriga a Rota dos Espumantes foi colonizada basicamente por europeus, mas foram os imigrantes italianos que deixaram sua personalidade e cultura impressas por cada canto.

Quando decidimos conhecer o Vale dos Vinhedos, pesquisamos muitos hotéis na região e acabamos optando pelo Hotel Casacurta, que me pareceu muito mais interessante no que diz respeito à infraestrutura e preço. Ele fica a pouco mais de 10 km de Bento Gonçalves, mas é extremamente bem localizado. Ficamos hospedados lá por seis dias e gostamos muito da estadia!

WhatsApp Image 2018-11-08 at 17.43.03 (3)O casarão inaugurado em 1953 tem estilo clássico, decoração elegante, quartos amplos e recém-reformados, orquídeas de todos os tipos dando um charme extra aos ambientes e um café da manhã delicioso. Além disso, o restaurante Hostaria Casacurta traz uma gastronomia bem atraente, uma vez que mistura a tradição das cozinhas italiana e gaúcha com um quê de sofisticação e muito sabor. Recomendo o salmão com crosta de gergelim e um bom vinho local para acompanhar. Aproveite e peça uma sugestão para o proprietário, Cesar Nicolini, que está sempre por ali com ótimas dicas e muitas histórias para compartilhar.

WhatsApp Image 2018-11-08 at 17.43.57 (1)A primeira vinícola que visitamos na região foi a Don Laurindo. Seus vinhos são produzidos para consumo da própria família e apenas o excedente é comercializado, por isso a estrutura é bem enxuta. Na saída, você pode degustar dez rótulos e o valor cobrado na visita pode ser revertido em compras. Uma boa, né?

Demos um pulo na cidade de Farroupilha (39Km de Garibaldi) para conhecer a Casa Perini e ficamos bastante impressionados com o tamanho da estrutura que eles têm para produzir seus vinhos. O tour é conduzido por uma sommelier que conhece profundamente o assunto e explica com detalhes as diferentes técnicas de elaboração e processos de engarrafamento dos seus famosos e premiados espumantes. Se você é fã de bebidas mais adocicadas (não é o meu caso) experimente o moscatel, considerado o 5º melhor espumante do mundo. Gostamos bastante da experiência!

WhatsApp Image 2018-11-08 at 17.46.06Também vale muito a pena fazer o tour guiado pela Peterlongo, uma das mais antigas e tradicionais vinícolas de Garibaldi, para compreender a riqueza e importância de seus mais de cem anos de história no Brasil. Ao final do passeio, uma bela degustação de espumantes, vinhos e sucos de uva nos deixam com gostinho de quero mais.

WhatsApp Image 2018-11-08 at 18.03.56A melhor surpresa da viagem foi, sem dúvida, a vinícola Courmayeur. Chegamos lá de forma totalmente despretensiosa e resolvemos fazer uma degustação só de espumantes. Fomos atendidos pelo super simpático e atencioso Vani Simonaggio, que comanda também o La Fermata Bistrô.

Quando provei o Executive Extra Brut, simplesmente me APAIXONEI. Foi o MELHOR ESPUMANTE que provei em toda a viagem! ❤

Gostamos tanto que, no dia seguinte, voltamos lá e passamos a tarde inteira jogando conversa fora e bebendo baldes e baldes dessa delícia. Aliás, se você for fã de espumantes e de boa gastronomia, não deixe de provar as harmonizações preparadas pelo Chef Vani. Surpreenda-se também com os drinks inusitados de sua própria autoria. Tudo de bom!

Ai, agora bateu aquela vontade de voltar pra Serra Gaúcha… Já pode voltar? ;o)

Hotel Casacurta

http://www.hotelcasacurta.com.br

Don Laurindo

www.donlaurindo.com.br

Peterlongo

www.peterlongo.com.br

Perini

http://www.casaperini.com.br

Courmayeur/La Fermata Bistrô ❤

Av. Garibaldina, 32 – Garibaldi, RS

Anúncios
Imagem

Um pé em Portugal e outro na Espanha

IMG_5068Esqueci de dar uma dica valiosa para quem quer realizar o sonho de estar em dois lugares ao mesmo tempo: a Ponte Internacional de Segura, localizada no Distrito de Castelo Branco. Caminhando sobre ela, você passa pela fronteira luso-espanhola e ainda pode fazer stories bem divertidos!

 

 

Para quem visita o Alentejo, a cidade de Marvão, que fica a pouco mais de 10 km de Castelo de Vide, é mais uma parada obrigatória. Ela fica no Distrito de Portalegre e tem por volta de 500 habitantes.

Não poderíamos ser mais bem recebidos do que avistando seu belo jardim logo na entrada. Caminhar por suas ruas estreitas, observar as incríveis paisagens. Sem dúvida, a pequena Marvão merece ser apreciada com calma.

IMG_4958

Mas, adivinhem quem deixou Castelo de Vide morrendo de fome? Pois é. Ainda bem que a querida Teresa, anfitriã da Quinta das Lavandas, nos deu uma dica de um restaurante, frequentado basicamente pelos próprios portugueses, simples, sem frescura e com pratos deliciosos e acessíveis. Bingo! Saímos de Marvão direto para O Sever Churrascaria, na cidade de Portagem.

IMG_5004Confiamos na dica da Teresa e pedimos o que ela sugeriu: uma porção de cogumelos de entrada (DI-VI-NA) e plumas grelhadas de prato principal (depois descobrimos que era o pescoço do porco…hahaha). Uma carne muito macia e suculenta. Adoramos! Nada como se aventurar e descobrir comidinhas locais que jamais teríamos coragem de provar se soubéssemos o que era, né?

Saciados, seguimos viagem para nosso próximo destino: Serra da Estrela e a rota das Aldeias Históricas de Portugal. Um encanto após o outro e muito amor por essa terra ❤

Restaurante O Sever

Estrada do Rio Sever, 4 – Portagem/Marvão

Para os amantes de vinho que estiverem na região, segue um ótimo lugar para comprar vinhos alentejanos a preços convidativos:

Garraferia Dom Júlio

Avenida do Brasil, 51 – Portalegre

Quer saber mais sobre Portugal?

Nossa primeira parada na região do Algarve

Alentejo. Como não amar?

Um dia em Évora. O que fazer?

Quinta das Lavandas e a rota dos vinhos do Alentejo

 

 

Imagem

Quinta das Lavandas e a rota dos vinhos do Alentejo

            IMG_4822Viajar pelo Velho Mundo é se surpreender com paisagens inusitadas, belezas naturais desconhecidas e lugares cheios de histórias a serem relembradas. E, claro, castelos e mais castelos. O Mau é “o louco dos castelos”. Não pode ver um de longe, que quer conhecer. Foi o que aconteceu com este, em Evoramonte. Que nos proporcionou esta vista…

IMG_4870Chegando a Castelo de Vide fomos presenteados com um lindo pôr do sol. Escolhemos o Quinta das Lavandas, um hotel rural a alguns quilômetros do centro, para passar duas noites e explorar a região.

IMG_4880

 

Teresa, a simpática proprietária, foi nos recepcionar de braços e sorriso abertos. Fez questão de nos mostrar todo o hotel e garantir que nos sentíssemos em casa. O lugar tem uma ótima estrutura, piscina, quartos super bacanas, além de um astral especial e acolhedor. Fiquei apaixonada.

 

Quinta

Fonte: site Quinta das Lavandas

A lavanda é a verdadeira protagonista da Quinta, que tem uma plantação linda de onde são feitos óleos essenciais e outros produtos especiais.  O aroma delicado da lavanda se faz notar em todos os cantos, de forma sutil e encantadora, instigando nossos sentidos e trazendo uma deliciosa sensação de calma e relaxamento.

IMG_5012Na manhã seguinte, Teresa nos deu algumas dicas do que fazer na cidade. Começamos visitando o centro, bem pacato e tranquilo, como uma cidadezinha do interior. Na lojinha Sabores da Terra, provamos o doce boleima, uma receita judaica feita de pão sem fermento, maçã e canela. Só de lembrar, senti o sabor na minha boca. Se você for fã de doces, aproveite e experimente também o de castanhas portuguesas. Divino!

IMG_4841De lá, seguimos para as vinícolas. Em Estremoz e arredores visitamos três delas: Herdade das Servas, Dona Maria e Tapada do Chaves que havia sido comprada recentemente pela Fundação Eugénio de Almeida e estava em processo de inventário, por isso, apenas conhecemos as vinhas e o processo produtivo, mas não pudemos fazer degustação.

 

IMG_4862A vinícola Dona Maria, também conhecida como Quinta do Carmo, foi um presente de Dom João V a sua amante. Visitando a vinha você vai ficar sabendo de toda a história, mas vou te falar que a Dona Maria mandou bem, mostrou seu valor, porque o lugar é maravilhoso. A vinícola, o palácio e os jardins são impressionantes, além dos vinhos de excelente qualidade, como o Alicante Bouschet Júlio B. Bastos 2014 e o Dona Maria Grande Reserva Alentejo DOC 2012.

IMG_4840Para quem tem tempo de folga e aprecia um bom vinho, sugiro uma estada de 3 ou 4 dias para explorar a rota do vinho com mais calma. Existem dezenas de vinhas, umas mais, outras menos conhecidas. Não se prenda somente às grandes e turísticas. Há pequenos produtores fazendo vinhos muito bons, viu!? Lembre-se de fazer reserva para visita e prova de vinho com antecedência, pois os horários são bem concorridos (não importa a época do ano).

Me despedi de Castelo de Vide deixando um pedacinho do meu coração no Quinta das Lavandas. Esse lugar é muito especial e me conquistou pra valer. Teresa, querida, obrigada por tudo que fez por nós e pelas dicas valiosas!

Próxima parada: Castelo de Marvão + uma boa surpresa gastronômica (simples, acessível e MUITO saborosa) + um pit stop entre Portugal e Espanha.  Não perca o próximo post!

Quinta das Lavandas ❤

https://www.quintadaslavandas.pt/

Dona Maria

http://donamaria.pt/

donamaria@donamaria.pt

Herdade das Servas

http://www.herdadedasservas.com/

enoturismo@herdadedasservas.com

 

Imagem

Um dia em Évora. O que fazer?

A cidade de Évora é muito gostosa para ficar apenas um dia. Passear por suas ruas pacatas sem compromisso ou pressa é o mais sábio a fazer. Mas, se você ficar um dia e meio, como nós ficamos, lá vão algumas sugestões para preencher bem esse tempo.

IMG_4738 - CopiaComeçamos dando uma volta pela cidade, passamos pelo Templo de Diana, que estava sendo reformado e seguimos para a famosa Capela dos Ossos que, como o nome sugere, é inteirinha feita de ossos humanos. Sim, há caveiras por todos os lados. O lugar tem uma vibe esquisita, mas é parada obrigatória para quem visita Évora. Esse papo de morte nos fez pensar como a vida é passageira. Logo, decidimos  aproveitar o que ela tem de melhor: comendo e bebendo bem!

 

IMG_4584 - CopiaSendo assim, fomos direto para o Fialho, restaurante bem tradicional, famoso e lotado (é bom reservar). O garçom vai colocando todas as entradas na mesa e você escolhe o que vai comer. Fomos de queijo de ovelha, polvo, pimentão, bolinho de bacalhau…enfim, praticamente tudo. Pedimos Bochecha de Porco Preto e Borrego assado com batatinhas de prato principal. Para acompanhar, uma garrafa do Alicante Bouschet Reguengos de Monsaraz 2009. Tudo fantástico. De quebra, ainda conhecemos um casal nota dez (Tony e Denize) entre uma comilança e outra e batemos altos papos!

IMG_4647 - CopiaPara terminar o dia com chave de ouro, a tão esperada visita à Adega da Cartuxa (Fundação Eugênio de Almeida), produtora de um dos mais conceituados tintos de Portugal, o Pêra Manca, que você pode comprar pela bagatela de 194 euros. Para quem realmente tiver coragem de investir, cada pessoa pode comprar apenas uma garrafa desse vinho, tá? Infelizmente, ele não entra na degustação, o que não tira a graça de forma alguma, porque além de provar outros tintos e brancos deliciosos, também fazemos degustação dos azeites, que são incríveis. Nem preciso dizer que voltei com um na mala, né?

No dia seguinte, quando estávamos de saída do hotel, Peter e Nina, proprietários da Albergaria do Calvário nos deram mais uma super dica: um lugar para almoçar a caminho de Estremoz e Marvão. Ligaram e falaram com o dono para reservar uma mesa pra gente. Então, seguimos direto pra lá, com a tradicional fome que Deus me deu.

IMG_4793O restaurante chama-se O Bolas e fica na cidade de Azaruja. Quando paramos o carro na frente pensamos – putz, será? Vamos arriscar?Não havia uma alma na rua. O restaurante mais parecia um boteco, mas foi tão bem recomendado, que resolvemos experimentar.

IMG_4796

 

Simples de tudo, O Bolas é comandado pelo Seu Bolas, como carinhosamente o chamamos, e sua esposa, que não somente gerenciam, como abrem a porta, nos levam à mesa, fazem a comida, servem os clientes, fecham a conta e, o mais gostoso, adoram bater um bom papo.

Se quiser provar a autêntica refeição alentejana, O Bolas é o lugar. E não adianta achar que vai escolher seu vinho e suas entradas. Seu Bolas fará questão de escolher por você. No máximo, você vai escolher o seu prato e olhe lá. Mas, fique tranquilo, Seu Bolas sabe o que está fazendo. Confie e deixe seus preconceitos de lado.

Para começar uma porção de Porco Preto, versão portuguesa do Pata Negra. Para compartilhar, uma sopa de poejo com ovos escalfados – não me perguntem o que é. Só sei que é bom demais – e costeleta de novilho grelhada, acompanha batata frita da Dona Bolas. Refeição caseira, simples e afetuosa. Não é à toa que O Bolas recebe diariamente pessoas vindas dos quatro cantos de Portugal. Conhecemos um casal que estava fazendo bate e volta de Lisboa, só para almoçar.

De lá, seguimos viagem para nosso próximo ponto de parada: Castelo de Vide e fizemos paradas estratégicas em mais duas vinícolas. Acompanhe os posts!

Bjs e até lá.

Restaurante Fialho

http://restaurantefialho.pt/

Adega Cartuxa

Para conhecer os tipos de visitas e valores, acesse o site e reserve com antecedência:

www.cartuxa.pt

Restaurante O Bolas ❤

Rua Conde Galveias, 22 – Azaruja

Quer saber mais sobre Portugal? Clique nos links abaixo:

Portugal de ponta a ponta

Nossa primeira parada na região do Algarve

Do Algarve à Costa Vicentina

Alentejo. Como não amar?

 

 

 

 

 

 

 

Imagem

Alentejo. Como não amar?

A caminho de Évora uma parada na pequena (e cheia de presença) vila medieval de Monsaraz é fundamental, além de um verdadeiro presente aos olhos.

Lá do alto, uma das vistas mais bonitas do Alentejo. Sensação de liberdade, amplitude, imensidão. De não conseguir identificar o começo e o fim da paisagem. De estar pertinho do céu.  Aquela imagem que não cabe na fotografia, mas ficará para sempre no coração.

 

IMG_4541Assim é Monsaraz. Uma pequena vila inteira murada, com suas calçadas e intrigantes ruelas de ardósia, que conectam ruas um pouco mais largas e, juntas, vão dando forma à pequena cidade de menos de 800 habitantes pra lá de hospitaleiros. Cercado por pés de limão siciliano, muitas flores e oliveiras, o vilarejo é tão encantador quanto seus moradores.

IMG_4491Lá dentro só se anda a pé. Os carros entram se for extremamente necessário para carga e descarga e é comum ver pessoas puxando suas malas ladeira abaixo (e acima). Em algumas horas você pode explorar todo o vilarejo, conhecer o imponente Castelo de Monsaraz, visitar as lojinhas de artesanato, tomar um delicioso café com docinhos portugueses e, por fim, contemplar essa paisagem maravilhosa, onde as fronteiras entre Portugal e Espanha se perdem de vista.

 

 

Saindo de Monsaraz, seguimos para o nosso destino, a cidade de Évora. Ficamos hospedados na charmosa e acolhedora Albergaria do Calvário por uma noite.

IMG_4612Pensem num lugar espirituoso, aconchegante, que te faz sentir em casa. Além do ambiente totalmente decorado pensando nesse conceito, os proprietários Nina (brasileira) e Peter (americano) dão o toque que falta para o hotel ficar perfeito. Bom humor, educação, gentileza e empatia: com esses ingredientes não tem como dar errado, né?

Foi uma pena não termos ficado mais tempo lá. Queria poder tomar aquele café da manhã natureba e saudável de novo, com Peter explicando suas receitas de granola e preparando deliciosas panquecas americanas pra gente. Peçam dicas de passeios e tours enogastronômicos, que eles vão adorar ajudar. Até uma garrafa de um dos seus vinhos alentejanos preferidos ganhamos de presente<3

IMG_4787

Casal nota mil, hospitalidade e acomodação idem. Voltaria com certeza e super recomendo!

No próximo post, conto como foi nossa experiência pelas ruas de Évora e o que encontramos no caminho para Estremoz e Marvão.

Hotel Albergaria do Calvario 

https://goo.gl/AvBkxQ

Quer saber mais sobre Portugal? Veja os posts abaixo!

Portugal de ponta a ponta

Nossa primeira parada na região do Algarve

Do Algarve à Costa Vicentina

Imagem

Do Algarve à Costa Vicentina

Escolher uma cidade na região do Algarve e usar como apoio é a melhor opção para explorar a região, pois lá tudo é bem pertinho e de fácil acesso. Usamos a cidade de Albufeira como base, mas chegamos à conclusão que mesmo no inverno, dois dias acabaram deixando o passeio um pouco mais corrido que o desejável. Estender mais uns dois dias seria o ideal.

IMG_4277Saímos bem cedinho do hotel, na Praia de São Rafael, e fomos descendo em direção a Sagres. Você vai encontrar lojinhas muito charmosas de cerâmica à beira da estrada. Difícil não se encantar com as cores e a criatividade dos artesãos. É uma peça mais linda que a outra. Se houver espaço na mala, é um ótimo souvenir para trazer como lembrança ou presentear alguém.

Uma portuguesa nos deu a dica de visitar a Praia dos Clérigos e disse que era sua preferida. Decidimos ir até lá para conhecer. Mas, não foi a praia que nos conquistou e sim um restaurante pequenininho e bem simples, de frente para o mar, onde comemos a porção de lula mais suculenta e bem temperada de nossas vidas (sim, melhor do que a do Kiki´s, na Grécia). Infelizmente, não me lembro do nome, mas só existem dois ou três restaurantes ali, então dá pra provar todas as lulas até encontrar a nossa favorita!

Saciados, seguimos viagem.

IMG_4336A Fortaleza de Sagres e o Farol do Cabo de São Vicente são paradas obrigatórias se você está nas redondezas.  Não há nada de muito especial, com exceção das paisagens impressionantes que já fazem valer a viagem. Sagres é conhecida como “o fim do mundo”, pois é o ponto mais a sudoeste de toda a Europa e não há foto que consiga representar a beleza indescritível do lugar. A força da natureza se faz presente. O vento é fortíssimo, então não espere conseguir tirar uma foto perfeita. É humanamente impossível.

IMG_4384

Praia de Dona Ana

O Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano também são um prato cheio para os amantes da natureza. A Rota Vicentina é o turismo ideal para quem quer apreciar a paisagem e os valores ambientais da costa litorânea do país. Lá, a todo tempo você se depara com peregrinos sem fôlego, mas cheios de esperança e persistência, seguindo o caminho apoiados em seus cajados e com um objetivo em comum: concluir o percurso de 350 km, que compreende o Caminho Histórico e o Trilho dos Pescadores.

 

Deixe para o final do dia a Praia de Dona Ana e a Ponta da Piedade. Aos amantes do pôr do sol, recomendo que assistam à perfeição do espetáculo nessa última praia. Lindo de viver, não acham?

IMG_4418

No dia seguinte, nos despedimos do Algarve e seguimos caminho rumo à Évora e às delícias do Alentejo que estavam por vir.

Para mais informações, acesse: www.rotavicentina.com

❤ Quer saber mais sobre Portugal? Veja os posts abaixo e fique ligado nos próximos!

Portugal de ponta a ponta

Nossa primeira parada na região do Algarve

Imagem

Nossa primeira parada na região do Algarve

Aterrissamos em Lisboa no início de novembro, época em que os últimos resquícios de calor já se despediram do continente europeu para dar lugar aos ventos frios do outono. Pensando nisso, resolvemos começar nossa volta em Portugal pelo sul do país (leia-se: praia).

IMG_4038Alugamos um carro e descemos para o nosso primeiro destino, a região do Algarve. Ficamos hospedados no São Rafael Atlântico, em Albufeira. Um hotel cinco estrelas, com preço surpreendentemente justo. A estrutura é tão impressionante quanto à de um grande resort nas nossas praias do nordeste. Spa, piscina interna e externa climatizadas, café da manhã dos deuses, staff gentil e sorridente, quarto amplo, limpo e cheiroso. Mas não para por aí…

A praia de São Rafael é praticamente privativa aos hóspedes do hotel. O caminho até lá é cercado por oliveiras, muito verde e gaivotas tagarelas que nos guiam até esse lugar que vocês veem nas fotos. Tenho fama de chorona, eu sei. Mas olhando essa imensidão de céu e mar, não pude conter a emoção. Só vendo para entender e sentir ❤

IMG_4189A praia pode não ser a mais popular e conhecida da região, mas sem dúvida é a mais linda que já vi. Sua encosta tem formações rochosas, a areia é clara e fofinha, a água do mar é límpida e mescla infinitas tonalidades de azul. A força das ondas, do vento e da água da chuva transformaram as rochas dessa praia em genuínas obras de arte da natureza.

Agora, um detalhe importante: em novembro a região mais parece uma cidade fantasma. Se você busca paz e sossego, sem problemas. Dá pra curtir as paisagens maravilhosas durante o dia e aproveitar a infra do hotel à noite. Nós bem que saímos para procurar restaurantes e bares, mas, para o nosso espanto, não havia nenhum aberto. Talvez alguns pensem: poxa, que azar…

Para nós, a maior sorte do mundo foi ter esse pedacinho de areia só pra gente. O silêncio que só dava espaço para o barulho das ondas do mar e o cantar das gaivotas…

A primeira parada em Portugal já conquistou nossos corações. O que mais estaria por vir?

Em breve mais relatos da nossa volta em Portugal. Acompanhe os posts cadastrando seu e-mail aqui no blog!

IMG_4098

NAU São Rafael Atlântico

https://www.saorafaelatlantico.com/pt/

Quer saber mais sobre destinos em Portugal? Clique aqui.