Imagem

Meu japa preferido em Sampa!

Demorei alguns anos para começar a gostar de comida japonesa. Que heresia, não? Mas, vamos ser sinceros: não é uma comida que você experimenta e logo se apaixona. Pelo menos, não foi assim que aconteceu comigo. A consistência do peixe cru me dava uma sensação de que ele estava vivo e se mexendo dentro da minha boca. Foi um longo caminho até eu me tornar fã, mas hoje, não conseguiria viver sem.

E, para homenagear o aniversário de 463 anos da nossa cidade, hoje vou falar sobre o JAM (Japanese Food, Arts & Music), que é o meu japa preferido em São Paulo. Super indico a todos que passarem por aqui.

Não tem rodízio e não é barato, mas dá para se deliciar de vez em quando, pois vale muito à pena. Para vocês terem uma ideia, um casal que pede uma entrada, um combinado e uma garrafa de sakê das boas gasta em média R$ 250. E aí, dá pra encarar?!

Como o próprio nome diz, além da comida japonesa, o restaurante é todo decorado com obras de arte, que vão mudando de tempos em tempos. O ambiente de meia luz é descontraído, aconchegante e ainda tem música ao vivo, de ótima qualidade. Na unidade Itaim, que vamos sempre, o atendimento é nota dez. Enfim, é o cenário perfeito para qualquer ocasião.

As entradas e os combinados são realmente incríveis. A combinação de produtos inusitados, traz uma verdadeira explosão de sabores e é um presente ao nosso paladar. A forma como são montados no prato, dá um quê de modernidade e realmente encanta.

Aqui vai minha lista de favoritos:

Maguro JAM: sashimi de atum selado com crosta de gergelim, fatias de caju e tomatinho cereja com azeite (e não é que fica bom demais?!)

Shake Passion: sashimi de salmão selado em forma de flor e molho de maracujá (dá até dó de comer)

Ussuzukuri Spicy: salmão ou atum com molho spicy, pimenta dedo de moça e crispy de alho poró

*Wasi Maguro (o melhor dos melhores, na minha opinião): sashimi de atum com gergelim, massago, cebola roxa e molho de manjericão com azeite de trufa. Gente, o que dizer desse azeite de trufa? Seu sabor e aroma inigualáveis! Já sei: que tal um pão italiano para “tchutchar” nesse molhinho que fica no prato? (meu Deus!)

Normalmente, depois das entradas, pedimos o combinado Fusion Inspiration (esse da foto principal), que traz o clássico dos peixes com um mix de produtos locais. Todos são maravilhosos. No final, só sobra mesmo o nabo para contar a história. Tudo isso acompanhado de uma boa garrafa do sakê japonês Hakutsuru. Não tem como não amar!

Se tiver um espacinho para a sobremesa, experimente o sorvete de gengibre com calda de chá verde, biscoito e caramelo!

**Agora um desafio:

Quem conhecer um restaurante japa muito, muito bom (tipo o JAM), por favor, compartilhe com a gente aqui nos comentários! Vamos adorar conhecer e conferir.

Bjs e até a próxima semana 🙂

 

JAM

Itaim: Rua Lopes Neto, 308 ❤

Jardins: Rua Bela Cintra, 1929

Reservas: (11) 3473-3273

contato@jam.com.br

http://www.jam.com.br/

Imagem

2 Vinícolas imperdíveis no Valle Colchagua

O Valle Colchagua é um verdadeiro deleite para os apreciadores de vinhos chilenos. As condições climáticas e geográficas da região favorecem a produção de vinhos de excelente qualidade. Lá, existem vinícolas de todos os portes e para todos os gostos, mas o bom mesmo é degustar os vinhos e admirar a belíssima paisagem.

Ficamos quatro dias no Valle Colchagua e visitamos algumas vinícolas da região. Hoje vou falar de duas que considero imperdíveis: La Postolle e Montes.

img_1281A La Postolle produz vinhos orgânicos e biodinâmicos, isso quer dizer que todos os fatores envolvidos na produção (solo, plantas, humanos e animais) atuam num sistema holístico, harmonioso e autossustentável, preocupado não somente com a qualidade, mas também com a preservação da natureza e uso consciente de seus recursos. É um trabalho bem manual mesmo.

Além do tour pela propriedade, você pode fazer a degustação de quatro tipos de vinho, incluindo seu ícone, o Clos Apalta, super premiado mundo afora. Caso queira ampliar sua experiência, você também pode se hospedar dentro da La Postolle por uma quantia, na minha opinião, um pouco alta. Vi pelo site que as instalações são muito bacanas, mas, sinceramente, não sei se vale à pena.

Em termos de estrutura e beleza, achei a Montes bem mais rica e completa. A propriedade onde ficam os vinhedos é lindíssima e todo o interior foi projetado com base no Feng Shui, utilizando a força da água e do vento para que as energias positivas possam influenciar o ambiente. Acho que deu certo, viu?!

img_7421

A degustação é muito legal, pois temos uma verdadeira aula sobre o processo de produção utilizado, o dry farmed, em que eles irrigam o mínimo possível os vinhedos (economizando 65% de água) para que eles busquem os nutrientes por meio de suas raízes mais profundas, tornando-se mais fortes e, consequentemente, produzindo vinhos mais complexos. Eu achei incrível!

Particularmente, prefiro os vinhos da Montes aos da La Postolle. Eles agradam mais o meu paladar. E acho que isso é o que mais importa: saborear um vinho pelo prazer que ele te dá e não por ele ser um ícone mundialmente reconhecido e premiado. Certo?

Ao final do tour, aproveite para comprar os vinhos que, em média, custam 1/3 do preço que pagamos aqui no Brasil. Vale M-U-I-T-O à pena. Depois, sente-se à beira dos espelhos d’água e almoce no Bistrô Alfredo, com uma vista incrível dos vinhedos. Se for fã de frutos do mar, recomendo o polvo à vinagrete. É de cair o queixo.

Dica: como todas as vinícolas da região, é bom reservar tour, degustação e almoço com antecedência.

La Postolle

www.lapostolle.com

closapaltatours@lapostolle.com

Montes ❤

www.monteswines.com

lafinca@monteswines.com

Por hoje é só. Espero que tenham gostado das dicas!

bjs e até a próxima ;o)

obs.: quer saber mais sobre as vinícolas chilenas? Clique aqui e aqui.

 

Imagem

10 lugares para conhecer antes de partir

Nessas férias assisti novamente Antes de Partir (The Bucket List), estrelado pelos brilhantes Morgan Freeman e Jack Nickolson, que por si só já fariam desse filme um grande sucesso. O melhor é que, além de uma atuação impecável, ele traz também uma boa história.

Cinéfila confessa, não me lembro quantas vezes já assisti, gargalhei e me emocionei com a trama. Seus personagens, completamente antagônicos, se encontram num quarto de hospital como pacientes terminais e, com o tempo, criam empatia um pelo outro e iniciam uma amizade. Um deles, simples, simpático e sábio e o outro, presunçoso, arrogante e milionário. Juntos, eles decidem fazer uma lista de coisas que precisam fazer antes de morrer e fogem do hospital para aproveitar o tantinho de vida que lhes resta, realizando seus últimos desejos. Nessa aventura, acabam enxergando o que realmente tem valor nessa vida: a família, o amor e a felicidade.

Associando o filme a minha outra paixão, que é viajar e desbravar o mundo, fiquei pensando em quais lugares eu gostaria de ir antes de partir, do que eu gostaria de ver, sentir e experimentar. Experiências e paisagens de tirar o fôlego, lavar a alma e me fazer agradecer ainda mais pela vida. Lugares cheios de história, de encantos. Lugares que me trouxessem um significado especial.

Segue minha lista com os Top 10 (em ordem aleatória, e não de prioridade).

  1. Presenciar o fenômeno da Aurora Boreal (Top 5)
  2. Andar de balão na Turquia (clique aqui para ver uma entrevista inspiradora)
  3. Conhecer a Grande Muralha da China e os Guerreiros de Xian
  4. Fazer a Costa do Adriático de carro, passando pela Croácia, Eslovênia, Bósnia Montenegro e Riviera Albanesa. Esta viagem já estamos planejando há um tempo, só falta o câmbio dar aquela mãozinha! (Top 5)
  5. Ver de perto o Monte Fuji, conhecer Kyoto e outras cidades do interior do Japão. Tenho verdadeira paixão, respeito e admiração pela tradicional cultura japonesa e a certeza de que seria uma viagem inesquecível. (Top5)
  6. Passear pelas ruas charmosas de Amsterdã, na Holanda
  7. Desbravar Portugal de ponta a ponta
  8. Passear de camelo no Marrocos (Top 5)
  9. Escócia, Irlanda e Inglaterra
  10. Imersão na cultura asiática: Tailândia, Vietnã, Myanmar, Camboja, Laos (Top 5).

obs.: como nunca estive em nenhum desses lugares, selecionei algumas fotos públicas e lindas que encontrei em ferramentas de busca e peço licença aos fotógrafos para compartilhá-las com os leitores!

Foi muito gostoso escrever esse post e, ao mesmo tempo, bem difícil. Deu vontade de repetir alguns lugares que conheço e gostaria de voltar. Deu dor no coração de cortar alguns outros que eu tinha colocado na lista….

É, gente, escolher os Top 10 entre tantos lugares incríveis nesse mundão afora não é mole não!

E você, quais lugares colocaria na sua lista de desejos para conhecer antes de partir?