Imagem

Um novo ano vem aí…

Passei para desejar um 2017 cheio de luz, amor, alegria, coragem, equilíbrio, sabedoria, respeito, autenticidade, alegria, paixão e, claro, muitas viagens e muitos motivos para comemorar!

O Em Cada Canto um Encanto voltará com novas histórias, dicas e experiências em Janeiro. Continue nos acompanhando por aqui e pelo Instagram.

Um lindo ano para vocês 🙂

bjs,

Mila

Anúncios
Imagem

Reims, a terra do champagne!

img_6951

Ir para Paris e não passar pela região de Champagne é um pecado, pelo menos para os amantes da bebida, como eu. É lá que são produzidos os autênticos e verdadeiros champagnes, os únicos que realmente podem ser chamados como tal.

Demos uma apertada no roteiro para incluir um bate e volta até a cidade de Reims, que fica a aproximadamente 150 km da capital francesa e abriga as mais famosas caves da região: Pommery, Veuve Clicquot, Ruinart, Demoiselle, Taittinger e muitas outras.

img_6948

img_6878Já que sou fã da marca, escolhi visitar a Veuve Clicquot. No estacionamento, só carrão de luxo e o nosso carrinho alugado. Por alguns instantes, me senti na Ilha de Caras. O lugar já era bonito do lado de fora, imaginem por dentro. Um truck estiloso e meio vintage estacionado no belo jardim servia como vitrine para promover alguns dos produtos, que estão à venda no interior da Maison. Impossível sair com as mãos vazias! rs..

img_6930O tour guiado conta a história da Madame Clicquot, a viúva que decidiu tomar as rédeas da empresa após a morte do marido e conseguiu expandir seu negócio com excelência. Depois, passa por uma aula sobre o processo de produção e armazenamento dessa maravilha dos deuses, direto das caves, e termina com uma deliciosa degustação. Esse tour que escolhemos, durou cerca de 1 hora e custou algo em torno de 35 euros por pessoa. Dicas: a temperatura lá embaixo é muito fria, levem agasalho. Ah, fiquem atentos aos feriados locais e agendem seu tour previamente pelos sites!

Se tiver tempo, dê uma esticada até a cidade de Épernay para visitar a Möet & Chandon e a Mercier. Infelizmente não conseguimos ir, mas elas também devem ser incríveis!

img_6961Demos um passeio rápido pela cidade, que é simplesmente encantadora. Reims me pareceu um lugar muito tranquilo. Suas ruas pacatas são arborizadas, extremamente limpas e cheias de verde. A arquitetura dos pequenos prédios dá à cidade um charme extra. A Catedral de estilo gótico, mesmo em reforma, era imponente e contrastava com o lindo céu azul daquele dia. Gostaria de voltar e ficar hospedada pelo menos uns dois dias por lá 🙂

Maison Veuve Clicquot

https://www.veuveclicquot.com/pt-br

visitscenter@veuve-clicquot.fr

1, place des droits de l’Homme

51100 Reims

Quer saber mais sobre a França? Clique aqui ou aqui.

 

Imagem

Valle Nevado. Vale?

Lembra daquele casal que comentei no post sobre Santiago? Pois é, foi graças aquele encontro casual que resolvemos incluir o Valle Nevado no nosso roteiro e iniciamos uma boa amizade. Naquele dia, combinamos de fazer o passeio juntos para resolver o dilema “os homens querem fazer snowboard e as mulheres não”.

Contratamos um guia/motorista super gente boa para nos levar até lá, o Pablo, indicado pela recepção do hotel Marriot, onde nossos amigos estavam hospedados. Ele conhece a região e o país como a palma da mão e nos deu uma aula sobre economia, política e cultura locais.

A estradinha que nos leva da capital ao topo do Valle Nevado é conhecida e temida por suas curvas fechadas “estilo cotovelo”. Ao todo são 60. Por isso, a primeira dica é: não exagere no café da manhã ou sofrerá as consequências…rs. Outra dica importante é deixar ao menos um dos vidros do carro aberto. Parece que isso ameniza um pouco os efeitos da altitude. Ah, e pare no mirador da curva 32 para tirar uma bela foto!

img_6970

img_6993

Mau, pronto para surfar na neve!

Mesmo quem não vai fazer ski ou snowboard deve alugar botas apropriadas para neve. Se quiser pagar mais barato pelo aluguel dos apetrechos, uma boa pedida é a loja à beira da estrada que nos leva ao Valle. Só não espere grandes demonstrações de cordialidade nesse lugar. Pense num espaço pequeno, pouco organizado e cheio de gente experimentando coisas ao mesmo tempo. É isso aí, uma zona! Já as pranchas de snow, alugamos no complexo do próprio Valle Nevado. Lá sim, você vê organização, equipamentos novos e cheios de estilo, mas também vê preços bem mais salgados…

 

img_7033Chegando lá, compramos os tickets e subimos pelo teleférico até o topo das montanhas. Meu marido parecia uma criança chegando no parque de diversão pela primeira vez. Ele e o Alexandre foram fazer uma aula para principiantes e, minutos depois, já mandaram ver na pista. Enquanto isso, eu e a Simone ficamos apreciando a paisagem e dando risada dos capotes alheios. Nem sei dizer quantas vezes o Mau subiu naquele teleférico e desceu pelas montanhas, mas vê-lo feliz daquele jeito, me encheu de alegria e tive a certeza de que o passeio valeu demais à pena!

Estávamos em setembro, já no fim do inverno, mas as montanhas ainda estavam cobertas de neve. Foi o branco mais branco que já vi, envolvendo boa parte da Cordilheira. Parecia que não existia nada entre mim e o céu. Era como se eu pudesse esticar minha mão e alcança-lo. Que coisa linda de se ver! Amei.

IMG_6997.JPG

Por isso, minha sugestão é: mesmo se você não curtir ski ou snow, não deixe de ir. Leve uma garrafa de vinho, queijos e petiscos e faça um piquenique na neve, se for o caso, mas vá. A vista é tão impressionante e linda, que merece ser contemplada.

Afinal, o Valle Nevado vale sim. E muito ❤

Pablo Dahud – motorista/guia

+56 9 91391283

pablodahud@gmail.com

Quer saber mais sobre o Chile? Clique aqui , aqui ou aqui.

 

Imagem

Turquia, uma ótima escolha!

dsc00116

Cidades subterrâneas – Capadócia

Nome: Lucas Barbosa Kaku

Profissão: Administrador de Empresas

Quem é você? Um jovem de 26 anos, solteiro, que gosta muito de esportes e de viajar. Trabalha com Comércio Exterior, na área de Compras e, por isso, viaja bastante a trabalho e conhece muitos lugares diferentes. Focado, determinado e agitado, Lucas quer mesmo é abraçar o mundo!

“Tenho que arrumar tempo para trabalhar e passear, consigo fazer 1 dia virar 2. Durmo pouco, mas faço tudo o que tenho vontade” – diz ele.

Qual o lugar mais incrível que você já visitou?

O lugar que eu mais gostei, sem dúvida, foi a Turquia, o primeiro país da Europa que conheci. Eu e minha namorada na época fomos para lá, em 2012, numa pegada meio louca: fizemos 8 cidades em menos de 15 dias (Istambul, Ankara, Capadócia, Izmir, Éfeso, Konya, Pamukkale e Bodrum). A Capadócia é a mais impressionante delas!

dsc00138

O que despertou seu interesse para fazer essa viagem?

Gosto de ter vivência em lugares diferentes, não muito comuns. A cultura, as paisagens e a expectativa do que eu encontraria por lá também me motivaram bastante.

Conte um pouco do seu dia a dia. O que mais te impressionou?

img_0589A Turquia tem de tudo e agrada a todos os gostos. Você pode viajar de casal, com a família ou de galera. Istambul é onde tudo acontece e onde a maioria dos pontos turísticos está. A grandeza da Mesquita Azul realmente impressiona. Achei legal o lava pés que fica na parte de fora, para limpeza e purificação. A cultura e as tradições religiosas, principalmente as muçulmanas, são muito diferentes das nossas. Outra coisa que me impressionou muito foi o visual e a geografia da Capadócia. As montanhas parecem castelos de areia e as cidades subterrâneas são muito loucas. Andar de balão, dá um puta frio na barriga, mas ver tudo isso lá de cima não tem preço. O povo no geral parece ser muito fechado, sério, têm uma feição meio sisuda, um olhar desconfiado, mas basta um sorriso ou uma palavra em turco, que eles já se tornam seu amigo. São excelentes negociadores e eu, como comprador, me diverti bastante barganhando com eles. Dica: negocie o preço de tudo, porque eles sempre te falam um valor muito mais alto do que realmente é. Muitas vezes eles também abusam dos preços para turistas. Minha namorada queria tirar foto em cima do camelo e perguntou quanto era. O cara falou USD 5 e, depois, disse que eu tinha que pagar USD 15, porque para descer do camelo era mais USD 10. É bom ficar esperto!

Tem alguma recomendação ou dica para os nossos leitores? Um restaurante, uma vista, uma experiência imperdível?

dsc00421Em Istambul, não deixe de tomar um autêntico banho turco, nem de ir no Spice Bazaar, um pequeno bazar de especiarias (comparado ao Grand Bazaar), frequentado pelos moradores da cidade. Recomendo também o dance show Hodja Pasha, com música turca e danças típicas.

Em Bodrum, fazer o passeio de escuna que para em vários pontos de mergulho em águas transparentes. À noite, ir na Halikarnas, uma balada muito top a céu aberto.

dsc00205E, para quem quiser uma experiência inusitada, indico o tratamento com peixes para tirar as peles mortas dos pés, em Pamukkale. Apesar das cócegas, é muito engraçado!

Ah, é muito difícil encontrar alguém que fale inglês, mesmo nas grandes cidades, por isso, vá preparado para fazer mímica.

Última dica: use Uber, porque os taxistas costumam “confundir” as notas ao dar troco…

Se pudesse descrever em poucas palavras a sensação de estar ali, o que diria?

Diria que estar na Turquia foi maravilhoso e a mistura de sensações inexplicável. Um país bonito e surpreendente.

JOGO RÁPIDO por Lucas Barbosa Kaku

Comida mais deliciosa: kebab de cordeiro com hommus

Uma bebida para acompanhar: chá turco & cerveja Efes Pilsen

A paisagem mais encantadora: As piscinas termais de calcário de Pamukkale

img_0809

Para quantos países você já foi? 18

Próximo destino: Dubai