Imagem

Um pé em Portugal e outro na Espanha

IMG_5068Esqueci de dar uma dica valiosa para quem quer realizar o sonho de estar em dois lugares ao mesmo tempo: a Ponte Internacional de Segura, localizada no Distrito de Castelo Branco. Caminhando sobre ela, você passa pela fronteira luso-espanhola e ainda pode fazer stories bem divertidos!

 

 

Para quem visita o Alentejo, a cidade de Marvão, que fica a pouco mais de 10 km de Castelo de Vide, é mais uma parada obrigatória. Ela fica no Distrito de Portalegre e tem por volta de 500 habitantes.

Não poderíamos ser mais bem recebidos do que avistando seu belo jardim logo na entrada. Caminhar por suas ruas estreitas, observar as incríveis paisagens. Sem dúvida, a pequena Marvão merece ser apreciada com calma.

IMG_4958

Mas, adivinhem quem deixou Castelo de Vide morrendo de fome? Pois é. Ainda bem que a querida Teresa, anfitriã da Quinta das Lavandas, nos deu uma dica de um restaurante, frequentado basicamente pelos próprios portugueses, simples, sem frescura e com pratos deliciosos e acessíveis. Bingo! Saímos de Marvão direto para O Sever Churrascaria, na cidade de Portagem.

IMG_5004Confiamos na dica da Teresa e pedimos o que ela sugeriu: uma porção de cogumelos de entrada (DI-VI-NA) e plumas grelhadas de prato principal (depois descobrimos que era o pescoço do porco…hahaha). Uma carne muito macia e suculenta. Adoramos! Nada como se aventurar e descobrir comidinhas locais que jamais teríamos coragem de provar se soubéssemos o que era, né?

Saciados, seguimos viagem para nosso próximo destino: Serra da Estrela e a rota das Aldeias Históricas de Portugal. Um encanto após o outro e muito amor por essa terra ❤

Restaurante O Sever

Estrada do Rio Sever, 4 – Portagem/Marvão

Para os amantes de vinho que estiverem na região, segue um ótimo lugar para comprar vinhos alentejanos a preços convidativos:

Garraferia Dom Júlio

Avenida do Brasil, 51 – Portalegre

Quer saber mais sobre Portugal?

Nossa primeira parada na região do Algarve

Alentejo. Como não amar?

Um dia em Évora. O que fazer?

Quinta das Lavandas e a rota dos vinhos do Alentejo

 

 

Anúncios
Imagem

Barcelona em menos de 3 dias

Barcelona foi a primeira cidade da Europa que conhecemos, há mais de dez anos. Isso por si só, já nos trouxe uma carga de emoção bem grande. Afinal, quem nunca sonhou em conhecer o Velho Mundo, né?

italia-2007-137Foram apenas dois dias e meio hospedados num hotel um pouco afastado do centro. Foi uma coisa bacana, pois caminhávamos bastante para chegar ao metrô e, foi assim, que soubemos da existência do Roserar de Cervantes, um parque muito bonito e bem preservado, com diversos tipos de rosas e outras flores, que alegraram nossa caminhada.

Nossa primeira parada oficial foi no Parc Güell, que apresenta, através das obras de Gaudí, a perfeita combinação da arte e da arquitetura. A beleza natural e os detalhes das obras feitas em mosaico nos encantaram. Sem dúvida um dos parques mais lindos que já vimos.

Almoçamos uma deliciosa paella catalã num restaurante no meio de La Rambla, a avenida mais famosa de Barcelona, repleta de lojinhas, bares, cafés, artistas de rua, muitos turistas e, consequentemente, pick pockets (batedores de carteira). É bom não dar bobeira nessa região.

italia-2007-272No dia seguinte, passamos pela muralha romana, fomos no Museu Picasso e no Dalí e pegamos um daqueles ônibus hop-on/hop-off para ver (de longe) outras construções e pontos turísticos da cidade. Como o tempo era curto, tivemos que optar pelos hot spots que não perderíamos por nada nesse mundo!

italia-2007-200Visitamos a Sagrada Família, que estava sendo restaurada, mas de forma alguma perdeu sua majestade e imponência. A arquitetura neogótica é realmente impressionante, assim como a vista panorâmica lá de cima. Os mais de 400 degraus da descida deixaram nossas pernas bambas e a sensação de dever cumprido.

Seguimos pelas charmosas ruas da cidade e demos de cara com o Museu de la Xocolata, que infelizmente estava fechado. Por sorte, encontramos no caminho uma loja de chocolate de dar água na boca, a Xocoa. Tinha chocolate de todos os tipos, formatos e combinações inusitadas de sabores. Até cerveja feita de cacau experimentamos. Voltamos com a sacola recheada. Como boa chocólatra, recomendo!

À noite, combinamos de nos encontrar com um amigo que estava morando em Barcelona, o Marquito, e ele sugeriu o bar La Champañeria. O lugar é pequeno, cosmopolita, abarrotado de gente e meio bagunçado, por isso relaxe e vá preparado para ficar um bom tempo em pé e fazer seu pedido no balcão mesmo. Isso tudo vale à pena, pois o bar tem uma vibe muito boa, pessoas animadas, mandando ver nas cavas e nos deliciosos tapas que a casa oferece. Nós adoramos o bar, a cidade e a companhia.

Nossa, nem acredito que fizemos tudo isso em menos de 3 dias!

Bjs e até a próxima ;o)

Xocoa

http://www.xocoa-bcn.com/

Carrer de Petritxol, 11, 08002 Barcelona, Espanha

 

La Champañeria

Carrer de la Reina Cristina, 7, 08003 Barcelona, Espanha

Imagem

Santiago de Compostela, muito além do caminho…

IMG_6076Nome: Maria Lúcia Fenerich Coleti

Profissão: Psicóloga

Países que já visitou: nunca contei, mas acho que já visitei uns 12

Lúcia é casada, tem 56 anos e 3 filhos. Ela disse que está numa fase da vida em os filhos já deixaram de correr atrás dela e ela deles e completa: hoje caminhamos lado a lado, junto também com meu marido.

Qual o lugar mais inesquecível que você visitou?  

IMG_6087Toda viagem é inesquecível, mas eu tenho sim uma viagem muito especial que fiz em 2010 com duas amigas para comemorar meus 50 anos. Fomos para a Espanha, fazer parte do caminho francês de Santiago de Compostela. Nessa ocasião, caminhamos 220 km. A viagem foi tão especial e significativa, que retornamos em 2012 (540 km) e 2014 (520 km).

O que te despertou o interesse para fazer essa viagem?

Uma conversa despretensiosa com uma pessoa que conheci por acaso e me contou que havia feito essa viagem num momento de recuperação de uma grave doença. Conforme ela contava, mais eu me interessava, mais eu ficava curiosa por saber como as coisas aconteciam no dia a dia de uma peregrinação. Não sei dizer exatamente o que deu o movimento, mas a partir daquele momento decidi que iria para lá. Talvez o sentimento de arrumar uma mochila e se expor ao mundo e ao inesperado. Nessa preparação, também foi muito importante a leitura de um livro especial que ganhei da minha nora e sempre indico para que tem a vontade de ir, chamado “Compostela – Muito além do caminho de Santiago”, de Beto Colombo e Mhanoel Mendes.

Conte um pouco da sua experiência e do significado dessa viagem. 

Você tem que arrumar sua mochila de tal forma que leve o mínimo de peso possível, pois caminhamos em média 26 km por dia. É importante ter um preparo físico, muscular e aeróbico também. Por mais leve que esteja sua mochila, você vai sentir dores nas costas, nos joelhos. Sempre aparecem novas dores, não importa o quanto você já tenha caminhado. Por isso, prestar a atenção no seu corpo é muito importante para que não se machuque. Já presenciei, mais de uma vez, peregrinos sendo resgatados por táxi ou ambulância, provavelmente por não terem prestado atenção aos sinais dos limites do corpo.

O significado e o propósito de cada um ao decidir fazer essa viagem é pessoal, não podem ser generalizados e nem julgados. Cada um tem um motivo para estar lá. O primeiro grande impacto é na preparação: você tem que deixar suas coisas, seus familiares, seus compromissos. É como abrir um parêntese na sua vida: “me deem licença, eu vou me ausentar por uns dias, mas eu volto”.

Estando lá, apesar de uma programação diária, você está exposto a muitas variáveis que podem impedir que a sua programação seja cumprida. Um dia, erramos o caminho na saída de uma cidade e tivemos que andar 3 km a mais. Nessa situação, isso faz muita diferença. E aí, como você reage a frustrações como essa?

IMG_6083A peregrinação cria condições para você prestar a atenção em você, nos seus sentimentos e nas suas reações, à medida que se expõe a situações novas o tempo todo. Há dias em que você se sente testado na sua paciência, na sua tolerância, na sua resistência, na sua convivência com quem é muito diferente de você. É um exercício diário da mente e do espírito.  A viagem propicia e facilita essa atenção em si próprio, afinal você está “sozinho” e nesse momento o que é mais importante na sua vida é você mesmo. De uma maneira geral é um grande aprendizado.

Tem alguma recomendação ou dica para os nossos leitores? Um restaurante, uma vista, uma experiência imperdível?

IMG_6084Existem povoados isolados, às vezes com 50 habitantes, que encantam e são especiais ou pela paisagem, como é o caso do Cebreiro ou pela gastronomia, como é o caso de Atapuerca ou pela hospedagem, como é o caso de Hontanas.            

Ter feito um pequeno desvio entre Triacastela e Sarria para conhecer Samos me traz boas e emocionantes lembranças. Lá existe um Mosteiro medieval do século VI, da ordem dos beneditinos e você pode assistir a uma missa com cantos gregorianos. Inesquecível!!

Se pudesse descrever em poucas palavras a sensação de estar ali, o que diria?

A sensação é que o aprendizado e o fortalecimento estão com você durante a Caminhada. Chegar em Santiago de Compostela é uma consequência, é a concretização do propósito de ter ido, mas o caminho continua depois que você chega lá.

Bate pronto por Lúcia Coleti

Comida mais deliciosa : Polvo a galega – Pulperia do Ezequiel – Melide

Uma bebida para acompanhar: Todos os vinhos do Caminho

Paisagem mais encantatora: a chegada em Samos (abaixo)

Próximo destino: Voltaremos agora em agosto de 2016 para percorrer o caminho francês inteiro, de Saint Jean (França) à Santiago de Compostela (Espanha), 780km de uma só vez!

IMG_6082