Imagem

Aventura na selva – O início

Para comemorar nosso 5º aniversário de casamento, escolhemos um destino um tanto inusitado: África do Sul.

Na verdade, eu e o Mau sempre fomos fãs dos documentários sobre vida selvagem do canal Net Geo Wild, principalmente os que falam dos felinos e outros grandes mamíferos. Então, por que não deixar um pouco a TV de lado e ver tudo isso ao vivo?

Minha cunhada, Mariana, tinha passado um mês estudando na África do Sul e, como conheceu muitos lugares bacanas, nos deu várias dicas e recomendou que nos hospedássemos num dos hotéis do Kapama Private Game Reserve, localizado entre as montanhas de Drakensberg e o Kruger Park.

Nosso pacote no Kapama Karula nos dava a opção de fazer até dois safaris por dia, sendo um bem cedo e outro no final do dia, com duração de aproximadamente três horas cada. Como fechamos três diárias, poderíamos fazer até seis safaris na viagem.

Nossa! Não vamos aguentar fazer todos, deve ser muito cansativo – pensamos.

Nos enganamos. E muito. Você vai descobrir o porquê ao longo dos próximos posts.

Nosso aviãozinho que, para minha alegria não chegava a ser um “teco teco”, posou no aeroporto de Hoedspruit. A vontade de ver de perto tudo aquilo era tão grande, que meu coração disparou de ansiedade. Quando avistei o jipe que nos levaria até o hotel (sim, esse é o transfer) eu parecia uma criança que visita a Disney pela primeira vez, de tanta felicidade. Não conseguia conter a emoção de estar ali.

O Kapama fica, literalmente, do outro lado da rua do aeroporto. Assim que entramos na reserva, fomos recepcionados por uma girafa, que saiu da mata e passou bem em frente ao nosso jipe. Apesar de caminhar de forma meio desengonçada, ela era inegavelmente elegante e linda de viver. Eu não sabia se fotografava ou simplesmente ficava admirando sua beleza. Optei pela segunda alternativa, afinal, aquele era apenas o primeiro dia da viagem e muitas outras girafas cruzariam o nosso caminho.

Chegamos no Karula e fizemos nosso check in. O hotel em si é tão, mas tão incrível, que merece (e terá) um post exclusivo, dedicado somente a ele.

Às 5:30 da manhã o nosso ranger, Cristo, um guia com profundo conhecimento da vida na selva, nos despertou para um rápido café, pois a nossa aventura começaria às 6h em ponto.

Nosso tracker, Nicholas, especializado em rastrear os animais, já estava nos aguardando no jipe com bolsas de água quente e cobertores, mimos essenciais para nos aquecer nas primeiras horas frias da manhã.

E lá fomos eu, o Mau, um casal de brasileiros engraçadíssimos e duas alemãs (avó corajosa e neta medrosa), em busca dos famosos Big Five, os cinco mamíferos de grande porte mais difíceis de serem caçados pelo homem: leão, búfalo, elefante, rinoceronte e leopardo.

Quando o ranger deu a partida no motor do jipe, um mix de emoções se instalou em cada um de nós.

O que será que encontraríamos nas três horas seguintes?

Anúncios

8 comentários sobre “Aventura na selva – O início

  1. Hlii disse:

    Em tempo:
    Reparando na foto com mais detalhes, reparei na pose do Mauricio: em pé, todo corajosão, mas com um sorriso meio amarelo….(medo? Quem sabe nos próximos capítulos iremos descobrir….)

    Curtido por 1 pessoa

  2. Helio disse:

    Ah, e se ele não aparecer numa foto penteando a juba de um leão, montando um búfalo, polindo o chifre de um rinoceronte (que não é osso!) ou com um cotonete limpando a orelhinha de um elefante, saberemos o porque daquele sorrisinho amarelo!!! Kk

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s